Saúde: Medicina/Unesp vai ampliar atendimento a casos de hepatite C

Tratamento inclui a realização de exames complexos, como as biópsias hepáticas com monitoramento de ultrassonografia

sex, 02/04/2004 - 18h03 | Do Portal do Governo

Os ambulatórios de atendimento a pacientes infectados pelo vírus da Hepatite C deverão ser dinamizados no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Unesp/Botucatu. Isso porque as unidades, vinculadas ao Departamento de Doenças Tropicais e ao Departamento de Clínica Médica, já têm cadastrados cerca de 800 doentes e estão recebendo uma média de 20 novos casos por mês.

A quase totalidade das infecções tem sido identificada nos exames realizados entre os doadores de sangue que se apresentam ao Hemocentro do HC.

A ampliação dos ambulatórios, segundo prof. Domingos Alves Meira, permitirá uma redução no intervalo entre as consultas, dando mais eficiência e segurança ao tratamento dos pacientes. O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Unesp/Botucatu mantém dois locais de atendimento aos pacientes de Hepatite C, funcionando em dias diferentes da semana e em prédios diversos, dentro do campus da Unesp, em Rubião Junior.

O tratamento disponibilizado pelos ambulatórios, além de prever a aplicação dos medicamentos interferon peguilado e interferon alfa, de alto custo e em freqüência semanal, inclui, também, a realização de exames complexos, como as biópsias hepáticas com monitoramento de ultrassonografia.

O vírus de hepatite C, identificado em 1989, segundo estimativas técnicas, atinge, hoje, 170 milhões de pessoas no mundo, e cerca de 3,5 milhões de brasileiros. A grande maioria das infecções, apesar de não produzir sintomas precoces, evolui para casos crônicos que podem levar à cirrose e ao câncer de fígado. A transmissão do vírus é realizada pelos contatos com sangue contaminado, seja pela transfusão, ou seja pelo uso compartilhado de seringas e agulhas, ferimentos, tatuagens e piercings.