Mulher: Secretaria cria ranking com melhores e piores índices de saúde da mulher

Região de Presidente Prudente foi considerada a melhor do Estado

qua, 28/05/2003 - 18h11 | Do Portal do Governo

A Secretaria de Estado da Saúde avaliou os indicadores de saúde da mulher em todo o Estado e criou um ranking das melhores e piores regiões. Foram avaliados: taxa de cesárea, mortalidade materna, baixo peso ao nascer, mortalidade neonatal precoce (óbito antes de sete dias de vida) e incidência de sífilis congênita.

As regiões do ranking foram separadas seguindo as divisões das Diretorias Regionais de Saúde (DIRs). A melhor região do Estado foi Presidente Prudente, que, na média da pontuação, recebeu 0,735. Em seguida veio Araçatuba, com 0,731. A pior região do Estado foi a cidade de São Paulo, com 0,377.

Em 28 de maio é comemorado o Dia Nacional de Combate e Prevenção da Mortalidade Materna. ‘Taxas altas de cesárea e mortalidade materna podem demonstrar problemas na assistência ao parto. Índices altos de pouco peso ao nascer, mortalidade neonatal e sífilis congênita podem indicar falhas nos serviços de pré-natal’, explica Maria Cristina d’Andretta Tanaka, assessora do Programa Saúde da Mulher, da Secretaria de Estado da Saúde.

Com o estudo, a Secretaria pretende apoiar os municípios, por intermédio das DIRs, na implementação de ações de saúde que revertam os dados insatisfatórios e melhorem os satisfatórios.

Os dados que compuseram o estudo são porcentagem de cesáreas feitas entre 1996 e 2000, coeficiente de Mortalidade Materna por 100 mil nascidos vivos durante 1996 e 2000, coeficiente de Mortalidade Neonatal Precoce por mil nascidos vivos também no período de 1996 a 2000, porcentagem de baixo peso ao nascer de 1996 a 2000 e coeficiente de incidência de sífilis congênita entre 1998 a 2001.

Ranking das 12 Regiões com melhores índices de Saúde da Mulher

Ranking das 12 Regiões com piores índices de Saúde da Mulher

Escala do Índice 1,000=melhor 0,000=pior

% Cesárea – Percentagem de cesarianas para o qüinqüênio 1996-2000
CMM – Coeficiente de Mortalidade Materna por 100.000 nascidos vivos para o qüinqüênio 1996-2000
% BP – Percentagem de baixo peso ao nascer para o qüinqüênio 1996-2000
CMNP – Coeficiente de Mortalidade Neonatal Precoce por 1.000 nascidos vivos para o qüinqüênio 1996-2000
CSC – Coeficiente de Incidência de Sífilis Congênita por 1.000 nascidos vivos do período 1998 a 2001