Investimentos italianos poderão ser aplicados nas áreas de Transportes e Infra-Estrutura do Estado

Governador Geraldo Alckmin recebeu nesta segunda-feira, o ministro de Transporte e Infra-Estrutura da Itália

seg, 15/03/2004 - 15h14 | Do Portal do Governo


O governador Geraldo Alckmin recebeu nesta segunda-feira, dia 15, uma comitiva do Governo italiano, encabeçada pelo ministro de Transporte e Infra-Estrutura, Pietro Lunardi. A Itália tem interesse em investir em São Paulo, principalmente nas áreas de Transporte e Infra-Estrutura. Também participaram do encontro os secretários estaduais dos Transportes Metropolitanos, Jurandir Fernandes, e de Economia e Planejamento, Andrea Calabi.

Foram apresentados os principais projetos do Estado nas áreas rodoviária e metropolitana, como os trechos sul do Rodoanel e do Ferroanel; as ampliações das linhas de metrô e de rodovias como a Tamoios, que tem como uma das finalidades fortalecer o Porto de São Sebastião; a modernização da CPTM; além do trem expresso de longa distância ligando os aeroportos de Viracopos, em Campinas, ao de Cumbica, em Guarulhos.

“Eles ficaram muito impressionados com o volume de projetos que nós temos”, comentou Jurandir Fernandes. Será criada uma comissão técnica permanente, envolvendo as secretarias dos Transportes, dos Transportes Metropolitanos e o ministério do Transporte e Infra-Estrutura da Itália para discutir estes assuntos com mais detalhes.

“Eles estão interessados em participar de todas as formas que forem viáveis, seja por meio da Parceria Público Privada (PPP) ou como financiadores”, relatou Fernandes. A Itália e toda a comunidade estão desenvolvendo esta formatação de PPP, acrescentou Calabi. “Portanto, existe uma expectativa que dê para apoiar estes investimentos com a legislação do PPP”.

Além do Governo italiano, a Espanha também vem demonstrando interesse em investir no Estado. “O Governo espanhol está desenvolvendo estudos para a construção do trem rápido, ligando os aeroportos de Guarulhos até Viracopos. A Inglaterra está mais interessada no campo de montagem financeira e desenvolvimento de modelos”, detalhou Calabi.

Já o Governo alemão apóia empresas alemãs na área de equipamentos elétricos com infra-estrutura de metrô. A Siemens está em um dos tramos da Linha 4 do metrô; e a francesa Alston faz parte de um consórcio também desta mesma Linha.

“O interesse em atrair investimentos é permanente. E do nosso lado, o intuito é mobilizar financiamentos adequados, com taxas de juros baixas e prazos longos como instrumentos de apoio do Governo do Estado”, considerou.

Valéria Cintra