Governo do Estado paga bônus de R$ 370 milhões ao magistério

O dinheiro estará disponível amanhã, dia 8, na conta corrente dos funcionários

qui, 07/02/2002 - 18h22 | Do Portal do Governo


Quase 200 mil professores e gestores do Estado receberam bônus de mérito e de gestão da rede pública estadual. O governador Geraldo Alckmin e a secretária estadual da Educação, Rose Neubauer, anunciaram o pagamento, nesta quinta-feira, dia 7, no Palácio dos Bandeirantes. O dinheiro estará disponível amanhã, dia 8, na conta corrente dos funcionários.

O valor total do bônus é de R$ 370 milhões e vai atender 170.974 professores e 18.744 gestores (diretores, vice-diretores, coordenadores pedagógicos, supervisores e dirigentes regionais de ensino) do Estado. Os critérios adotados foram o rendimento de seus alunos no Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar do Estado de São Paulo (Saresp), taxa de evasão dos estudantes e número médio de ausências dos professores da escola. O maior bônus, pago aos docentes com jornada de 40 horas, chegou a R$ 4.500,00, e o menor, a R$ 1.000,00. Para os diretores e supervisores, o valor máximo ficou em R$ 5.500,00, e o mínimo, em R$ 1.500,00. Entre os professores, 5.650 ficaram na faixa máxima. Do total de gestores, 159 dirigentes regionais, supervisores de ensino e diretores de escola terão direito ao maior valor.

“O objetivo é premiar a assiduidade e dedicação do professor. O bônus é um estimulo ao professor”, destacou Alckmin, acrescentando que, após a instituição do bônus, o número de falta dos professores caiu significativamente.

Rose Neubauer lembrou que o benefício é um reconhecimento à dedicação, assiduidade do professor e ao trabalho desenvolvido pelos gestores, essenciais para o aprendizado dos alunos.

É a segunda vez que o Estado destina recursos ao pagamento de bônus. Na primeira vez foi considerada apenas a assiduidade dos professores, e o valor destinado pelo Estado aos 198 mil profissionais do magistério público estadual foi de R$ 233,4 milhões.

Os bônus de mérito e de gestão foram instituídos por duas leis distintas, sancionadas em dezembro de 2000 pelo governador Mário Covas, prevendo o pagamento do prêmio em parcela única.

Desde 1995, o Governo do Estado, por meio da Secretaria da Educação, reajustou os salários dos professores em 200%. A menor remuneração de um docente de 1ª à 4ª série do ensino fundamental, com jornada de 40 horas, passou de R$ 281,69 para R$ 1.026,00. O professor de 5ª à 8ª série que ganhava R$ 337,38 passou a receber R$ 1.230,00. A folha de pagamento do magistério subiu de R$ 144,1 milhões para R$ 436,9 milhões.

Gláucia Basile