Fundação Procon-SP constata queda de 0,18% na Cesta Básica

O preço médio, que era de R$ 207,11, passou para R$ 206,74

seg, 10/02/2003 - 16h38 | Do Portal do Governo

De 7 para 10 de fevereiro, a Cesta Básica do paulistano apresentou variação de -0,18%, conforme pesquisa diária realizada pela Fundação Procon-SP, vinculada à Secretaria da Justiça do Governo do Estado de São Paulo.

O preço médio, que era de R$ 207,11, passou para R$ 206,74. O grupo Alimentação apresentou variação de -0,12%, Limpeza, -0,57% e Higiene Pessoal, -0,32%. No mês, a Cesta variou 0,37% (base 31/01/2003), e nos últimos 30 dias, 0,02% (base 10/01/2003).

No ano, a Cesta variou -0,80%, Alimentação, -0,74%; Limpeza, -3,35% e Higiene, 1,40% (base 27/12/2002), e nos últimos 12 meses, 32,76%, Alimentação, 38,46%, Limpeza, 7,27% e Higiene, 17,98% (base 08/02/2002). A variação no Plano Real é de 94,30% (base 30/06/1994). O custo mínimo da Cesta Básica é de R$ 148,07 e, o máximo, R$ 286,16, revelando diferença de 93%.

Dos 68 itens pesquisados 29 tiveram alta, 17 baixaram de preço e 22 permaneceram estáveis.

Os maiores aumentos registrados foram:
Ovos Brancos Grande: 2,06%*;
Alho: 1,64%;
Biscoito Maizena Tostines: 1,60%*.

As maiores quedas foram:
Papel Higiênico Fino Br. Neve: -1,61%*;
Queijo Muzzarela Fatiado: -1,58%;
Ovos Brancos Extra: -1,50%*.

Entre os produtos cotados, os que apresentaram o maior número de remarcações, para mais, foram: Lingüiça Fresca: 19%; Ovos Brancos: 16%; e Cebola: 16%; e para menos, foram: Papel Higiênico Fino Branco: 20%; Frango Resfriado Inteiro: 16% e Carne de Primeira: 16%.

A coleta do Procon/Dieese que abrange 68 supermercados nas 5 regiões da cidade, constatou que não havia em 9%, Farinha de Mandioca, em 7%, Biscoito Maizena, e em 3% Feijão Carioquinha.

* Estas variações referem-se à marca e/ou ao tipo especificado; já a variação total do produto considera a média dos preços mínimos praticados nos supermercados pesquisados, independente de marca ou tipo.

C.A