(Flash): Dúvidas podem ser tiradas na Central de Atendimento ao Exportador

Serviço inaugurado nesta quarta-feira é oferecido por meio do telefone, internet e endereço eletrônico

qua, 13/08/2003 - 13h55 | Do Portal do Governo


São Paulo – ‘Eu nunca exportei e quero obter informações de como posso exportar?’ Esta foi a pergunta que o governador Geraldo Alckmin fez à atendente da Central de Atendimento ao Exportador, serviço que foi inaugurado nesta quarta-feira, dia 13, na sede da secretaria estadual da Agricultura e Abastecimento, na Água Funda, zona sul da Capital.

Por meio do telefone (0xx11) 3272-7374 ou pelo site www.exporta.sp.gov.br ou ainda pelo e-mail central@exporta.sp.gov.br o empresário, de pequeno, médio e grande porte, que queira ingressar na atividade do comércio internacional, poderá tirar suas dúvidas.

O serviço já está em funcionamento e pode ser utilizado de segunda a sexta-feira, das 8 às 20 horas. O call center está programado para receber 2.500 chamadas/mês. Já o acesso à internet é ilimitado. Os casos mais complexos serão respondidos em até 48 horas.

O serviço foi criado em parceria entre o Governo do Estado, que cedeu as instalações, e a BM&F, que investiu US$ 100 mil na execução de atendimento telefônico e pela internet. Tem apoio do Sebrae e do Instituto Brasileiro de Comércio Exterior, que vai oferecer consultores.

A Central de Atendimento ao Exportador faz parte da primeira etapa do Centro de Logística de Exportação, que vem sendo implantado pela secretaria da Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo.

O governador disse que a Central vai oferecer uma ferramenta muito importante para o micro e pequeno empresário que queira exportar. ‘Hoje a maneira mais rápida de abrirmos postos de trabalho no Brasil, no momento em que o mercado interno está reprimido é através da exportação, aí você ganha em escala. As empresas, na medida que importam, passam a ter mais escala, reduzem custo e melhoram a competitividade’, declarou Alckmin, acrescentando que a exportação hoje é uma questão de sobrevivência.

‘Se você não exporta, não tem escala e não consegue reduzir custo’, afirmou. Ele ainda ressaltou que as exportações ajudam a trazer mais dólares para o País, melhoram a balança comercial, e ajudam a diminuir a fragilidade brasileira, dentro da globalização da economia.

Valéria Cintra/L.S.