Fapesp: Brasileiros criam programas que simplificam a tarefa de montar e analisar genomas

Programas organizaram e facilitaram a obtenção dos dados

ter, 03/02/2004 - 14h29 | Do Portal do Governo

Em setembro, duas equipes de pesquisadores brasileiros publicaram artigos científicos em revistas internacionais sobre o genoma (conjunto de genes) de dois organismos, o parasita Schistosoma mansoni, causador da esquistossomose no Brasil, e a bactéria Chromobacterium violaceum, abundante no rio Negro e com potencial de uso biotecnológico. Embora tenham trabalhado de forma independente, com organismos e metodologias distintos, as duas equipes desenvolveram programas de computador que organizaram e facilitaram a obtenção dos dados divulgados em seus escritos.

Do laboratório de Bioinformática do Instituto de Química da Universidade de São Paulo (IQ-USP), que participou do projeto sobre o verme da esquistossomose, saíram dois programas, o ESTweb e o ZERG, já disponíveis para download gratuito. Uma terceira ferramenta, o Sabiá, foi concebida no Laboratório Nacional de Computação Científica (LNCC), de Petrópolis, onde funcionou o coração da bioinformática da iniciativa que estudou os genes da C. violaceum. Por ora, o uso do sistema se restringe aos 25 laboratórios da rede nacional que seqüenciou o genoma da bactéria. Mas, em breve, sua utilização deverá ser aberta a todos os interessados.

Leia a matéria completa no site da