Fábio Magalhães é o novo secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Cultura

Anúncio foi feito na última sexta-feira pelo secretário da Cultura, João Batista de Andrade

seg, 16/05/2005 - 9h02 | Do Portal do Governo

O museólogo e ex-curador-chefe do MASP, Fábio Magalhães assume, nesta semana, o cargo de secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Cultura em substituição a Edmur Mesquita. A decisão foi anunciada na última sexta-feira, dia 13, pelo secretário da Cultura, João Batista de Andrade. Ao lado da arquiteta, crítica de arte e professora de história da Arte Ana Maria Belluzzo, Fábio Magalhães e João Batista de Andrade formularam em 1982 propostas para a política cultural do então candidato a governador do Estado de São Paulo, Franco Montoro, que integraram o livro ‘Esperança e Mudança’, com a plataforma política do candidato.

Além desta ligação histórica com o secretário e de sua reconhecida atuação no setor cultural, Magalhães foi convidado a assumir o cargo de secretário-adjunto também pela larga experiência em órgãos públicos. Durante 24 anos, exerceu vários cargos da administração pública: foi diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo, secretário da Cultura do Município de São Paulo, assessor especial da Secretaria de Estado da Cultura, secretário de Apoio à Produção Cultural do Minc, presidente da Embrafilme e presidente da Fundação Memorial da América Latina.

‘Todas as forças que traçaram as diretrizes culturais para o PMDB se aglutinam hoje no PSDB. E Fábio Magalhães, após a eleição de Montoro, continuou atuando para concretizar essas diretrizes’, disse o secretário. Já Fábio Magalhães aceitou o convite por entender que o secretário há muito tempo pensa na formulação de uma política cultural para o Estado. ‘Ele é uma das poucas pessoas que têm clareza da relação global entre o estado e a cultura, o público e o privado’, afirma Fábio Magalhães

Nascido há 62 anos na cidade de São Paulo, Fábio Magalhães é museólogo e integra os conselhos da Fundação Padre Anchieta, da Fundação Bienal de São Paulo, do Instituto Itaú Cultural, do Editorial da Unicamp, do Museu da Casa Brasileira, da revista Política Externa (Paz e Terra). Estudou História da Arte no Institut D’Art et d’Arquéologie de Paris. Ex-professor do Colégio de Aplicação da Faculdade de Filosofia Ciências e Letras da USP, lecionou nas faculdades de Arquitetura da UnB, Universidade Católica de Campinas e Instituto Mackenzie.

Foi diretor da Pinacoteca do Estado de São Paulo (79/82), secretário da Cultura do município de São Paulo (83), assessor especial da Secretaria de Estado da Cultura (84/85), secretário de Apoio à Produção Cultural do Minc (84/87), presidente da Embrafilme (88), curador-chefe do MASP (89/94), presidente da Fundação Memorial da América Latina (95/2003) e curador das II e III bienais de Artes Visuais do Mercosul, em Porto Alegre (1998/2001).

Secretaria de Estado da Cultura
Assessoria de Imprensa