Especial do D.O.: Delegacia investiga crimes praticados na internet

Qualquer distrito policial da cidade pode atender às vítimas desses crimes

qua, 01/10/2003 - 10h03 | Do Portal do Governo

A 4ª Delegacia da Divisão de Investigações Gerais, ou a 4ª Delegacia de Meios Eletrônicos, que fica na sede do Departamento de Investigações sobre o Crime Organizado de São Paulo (Deic), investiga há três anos golpes ou crimes virtuais. Os criminosos virtuais, que, entre outras iniciativas, aplicam golpes contra correntistas de bancos e usuários de cartões de crédito ou disseminam imagens de pedofilia na internet, esquecem (ou não sabem) que deixam mais rastros do que imaginam.

Segundo o delegado-titular Arlindo José Negrão Vaz, injúrias e difamações no meio virtual também são enquadradas como crimes contra a honra. Por isso, quando pensar em mandar um e-mail anônimo para um desafeto ou escrever impropérios em uma sala de bate-papo virtual, pense duas vezes.

Você pode ser denunciado e, nessas situações, o anonimato é bem relativo. “Quando o agressor envia uma mensagem, um caminho é criado e seus passos ficam gravados. Para identificar a origem, acionamos o provedor, identificamos o canal telefônico usado e percorremos a trilha, chegando à pessoa infratora.”

Qualquer delegacia recebe a denúncia

Atualmente, cinco escrivães e 11 investigadores revezam-se no trabalho diário. A delegacia tem atendido cerca de 40 ocorrências por mês. O delegado avisa: “Qualquer distrito policial da cidade pode atender às vítimas desses crimes”. Segundo Negrão, a maioria dos bancos, com receio do escândalo, dificulta o trabalho da polícia, sonegando informações. Ou, então, o cliente, ao ver a sua situação regularizada na instituição financeira, não faz a denúncia. “Para as investigações desses crimes dependemos muito da parceria com o Poder Judiciário que autoriza a liberação de informações.”

Fique alerta

Uma dica importante é ficar atento a sites estrangeiros ou e-mails desconhecidos com anexos. Ao receber um correio eletrônico oferecendo boa promoção ou solicitando o recadastramento em um banco, cuidado. A pechincha pode ser um dos muitos disfarces usados por programas espiões que roubam as informações de seu computador, como dados pessoais e senhas bancárias. A maior parte dos chamados roubos mediante fraude ocorre depois que o usuário abre o anexo de um e-mail de origem.

SERVIÇO
4ª Delegacia da Divisão de Investigações Gerais
Rua Zaki Narchi, 152 – Carandiru – São Paulo
Telefone (11) 6221-7030

Joice Henrique
Da Agência Imprensa Oficial

(AM)