Economia: Preço médio da terra agrícola de primeira sobe 28,58% no Estado

Pesquisa foi realizada pelo Instituto de Economia Agrícola

qui, 08/05/2003 - 18h44 | Do Portal do Governo

O preços médio de terra agrícola de primeira no Estado de São Paulo subiu 28,58%, para R$ 6.094,86 o hectare, no período de um ano entre novembro de 2001 e o mesmo mês do ano passado.

O aumento ultrapassou os principais índices de inflação, que foram de 20,78% (IGP-M) e de 23,09% (IGP-DI), mas foi inferior à desvalorização do real (43,71%) e ao crescimento dos preços recebidos pelos agricultores (30,58%), no mesmo período.

É o que mostra levantamento do Instituto de Economia Agrícola (IEA-Apta), feito em parceria com a Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (CATI), órgãos vinculados à Secretaria de Agricultura e Abastecimento.

O preço médio estadual de terra de segunda cresceu um pouco menos (26,79%), para R$ 4.699,22 o hectare. Já a terra para pastagem teve acréscimo de 23,59%, atingindo R$ 3.719,97 o hectare. O menor aumento foi verificado no preço médio da terra para reflorestamento (17,30%), que ficou em R$ 2.719,59 o hectare.

Os maiores percentuais de aumento nos preços da terra de primeira foram alcançados nas regiões de Presidente Prudente (87,75%, para R$ 2.802,32 o hectare) e de Franca (65,25%, para R$ 6.198,35). O maior preço nominal foi o da região de Campinas, que fechou em R$ 13.509,22 (acréscimo de apenas 12,38%).

Também para a terra de segunda, as maiores variações nos preços ocorreram nas regiões de Presidente Prudente (92,21%, para R$ 2.412,03 o hectare) e de Franca (82,05%, para R$ 4.889,81). O maior preço médio foi o da região de Campinas (R$ 11.300,06, com acréscimo de 17,05%).

Segundo o diretor do IEA, Nelson Martin, os preços de terras foram fortemente influenciados pelo aumento do valor da produção dos principais produtos da agropecuária paulista nas várias regiões. ‘Assim, aumentos expressivos nos preços dos grãos (algodão, amendoim, arroz, feijão, milho, soja e trigo), bem como do café, laranja, boi gordo e leite, contribuíram para o crescimento do preço da terra nas diferentes regiões agrícolas do Estado, no período.’

Mais informações podem ser obtidas nas tabelas de preços de terra, cuja íntegra está disponível neste site. Para acessá-las clique aqui.

Instituto de Economia Agrícola
C.A