Balizamento do Canal de Cananéia vai impulsionar a pesca e o turismo

Bóias de sinalização permitem navegação segura, desde a entrada da barra até o porto

sáb, 22/11/2003 - 12h50 | Do Portal do Governo


O governador Geraldo Alckmin vistoriou neste sábado, dia 22, o balizamento do Canal de Cananéia, Litoral Sul do Estado, a bordo de uma corveta da Marinha do Brasil. Essa obra é fundamental para impulsionar o turismo e a pesca costeira na região, pois permite a navegação segura pelo canal até o porto.

Dois projetos foram submetidos ao Fundo de Desenvolvimento do Vale do Ribeira (Fundesvar) para aproveitamento da Barra de Cananéia, que tinha sofrido processo de assoreamento, só permitindo a entrada de pequenas embarcações. O desassoreamento (primeiro projeto) exigiria a retirada de aproximadamente 5 milhões m3 de areia, o que implicaria em estudos ambientais detalhados. O trabalho demoraria quase dois anos, com recursos da ordem de R$ 3 milhões, além da manutenção anual da dragagem (cerca de R$ 1,5 milhão ao ano).

Baseado em critérios técnicos e na disponibilidade de recursos, a Secretaria da Ciência, Tecnologia, Desenvolvimento Econômico e Turismo priorizou o segundo projeto, de Balizamento e Sinalização da Barra de Cananéia, dispensando dragagem e permitindo a conclusão da obra em apenas quatro meses, com um custo muito menor: R$ 438 mil (recursos do Fundesvar).

‘Hoje estamos vendo um navio importante da Marinha brasileira no Porto de Cananéia, que há quase 40 anos não recebia uma embarcação desse porte. As melhorias que foram feitas vão ajudar muito a indústria da pesca e o turismo’, disse Alckmin.

O governador também informou que serão entregues, até o começo do ano que vem, o Aeroporto de Registro, com pista ampliada e asfaltada, a nova ponte sobre o Rio Ribeira, no município de Eldorado, a ligação de Apiaí com Iporanga, e a ligação do Vale do Ribeira com o planalto – trecho todo asfaltado, com 12,5 quilômetros de extensão, entre Sete Barras e São Miguel Arcanjo. No trecho da Serra da Macaca, que não pode ser asfaltado por estar em área de preservação ambiental, está sendo feita a perenização da via.

Além disso, foram liberados R$ 47,5 milhões pelo Fundesvar. Do total, R$ 16 milhões foram repassados diretamente aos 23 municípios da região, R$ 24 milhões para projetos de âmbito regional e o restante foi destinado a 130 projetos da iniciativa privada, sendo que 56 já foram assinados e vão beneficiar o agronegócio, criação de búfalos, cultivo da banana e o setor de turismo.

Outra iniciativa importante para o Vale do Ribeira foi o lançamento, neste mês, do programa que paga metade do prêmio do seguro rural ao pequeno agricultor, por meio da Cosesp. É a primeira vez que a banana foi incluída nesse tipo de seguro. Até então, por falta dessa opção, muitos produtores deixavam de cultivá-la na bacia do rio Ribeira e preferiam criar gado, com menor geração de empregos.

O prefeito de Cananéia, Marcelo Bimbo de Oliveira Rosa, agradeceu o governo pelos benefícios recebidos na área do ecoturismo, pesca e transporte marítimo.

Projeto Balizamento da Barra de Cananéia

Para descobrir um caminho seguro pelo canal, foi feito o levantamento batimétrico, topográfico e maregráfico, na escala de 1:5000, em área de aproximadamente 5,4 milhões m², na entrada da Barra de Cananéia. Também foi implantado o balizamento no canal de acesso ao Porto de Cananéia, com 10 bóias luminosas, garantindo manutenção até o final de 2004. Através de processo licitatório, foi contratada a HIDROTOPO Consultoria e Projetos Ltda., com acompanhamento técnico da Secretaria dos Transportes, por meio do Dersa.

O levantamento batimétrico foi concluído, revelando a existência de um canal de 150 metros de largura e níveis variáveis de profundidade – em sua parte mais rasa atinge 4,4 metros em maré baixa. Esse dado demonstrou que, ao contrário da carta náutica vigente, o novo perfil permitiria franca navegação, desde a entrada da barra até o porto de Cananéia. A Marinha já elaborou nova carta náutica, que será disponibilizada em breve. Foram instaladas oito bóias (mais duas de reserva), de acordo com as normas da Autoridade Marítima para a Sinalização Náutica.

Pesca

O balizamento permite a entrada dos barcos de pesca costeira em Cananéia. Hoje, eles se deslocam para Itajaí (SC) ou Santos para desembarcar a produção, que retorna para os centros de consumo por via rodoviária – sobretudo para São Paulo, maior centro consumidor do País. O novo porto conta com uma boa infra-estrutura de transporte rodoviário, o que permite rápido deslocamento de cargas para os centros consumidores.

A entrada no porto de Cananéia abre espaço para a retomada do processamento local da pesca, gerando empregos. Há três terminais pesqueiros a serem beneficiados com a obra e atualmente apenas um está em operação.

Turismo

O novo Canal de Cananéia abre a oportunidade de um Circuito Turístico Iguape / Parque Estadual do Cardoso / Porto de Paranaguá (PR) / Serra da Graciosa (PR) / Barra do Turvo / Iporanga / Apiaí. As pequenas marinas de Porto Cubatão poderão utilizar o Canal de Cananéia para a expansão do turismo marítimo na região.

O modelo de administração ainda será definido. Os municípios de Cananéia e Ilha Comprida estudam a possibilidade de criar uma empresa bi-municipal para operar o porto como Autoridade portuária – a exemplo do que já ocorre em Itajaí. Esse modelo, aliás, já é usado para gerir o pedágio entre Ilha Comprida e Iguape.

Existe também um projeto do Instituto Oceanográfico (USP) referente à instalação de equipamentos (marégrafo, ondógrafo, anemógrafo) para medição de intensidade e direção dos ventos, altura da maré, altura média e período das ondas. Foi apresentado ao Fundesvar, que examina a possibilidade de liberação de recursos da ordem de R$ 100 mil. Isso poderia abrir a possibilidade de implantação de um curso de extensão, no Vale do Ribeira, na área de Oceanografia – aproveitando as instalações já existentes do Instituto.

Macedo Júnior / Roberto Kamide