Alckmin visita presidente de fundação cultural para firmar parcerias

Primeira mostra será 'Mestres do Modernismo'

ter, 20/07/2004 - 14h41 | Do Portal do Governo


O governador Geraldo Alckmin visitou nesta terça-feira, dia 20, a presidente da Fundação José e Paulina Nemirovsky, Paulina Nemirovsky, de 82 anos, detentora de uma das mais importantes coleções de arte moderna brasileira, para fechamento de parcerias.

Por meio da Secretaria da Cultura foi formalizada a assinatura do contrato de comodato e o termo de cessão de uso entre a Fundação e a Pinacoteca do Estado. Por este sistema, a família proprietária do acervo tem o direito de retirar a coleção, caso entenda que as obras não estejam sendo abrigadas de maneira adequada.

A Pinacoteca vai poder apresentar em exposição as 200 obras de arte do casal e a Fundação poderá desenvolver atividades museológicas e culturais no segundo andar do prédio da Pinacoteca. O acervo da Fundação José e Paulina Nemirovsky ficará disponível ao público na Estação Pinacoteca por um ano

A primeira atividade, agendada para o dia 31 de agosto, com patrocínio da Telefônica, será a exposição “Mestres do Modernismo”, com 50 obras dos artistas fundamentais do Modernismo brasileiro da década de 20 e acervos da Pinacoteca, da Casa Guilherme de Almeida e do Palácio dos Bandeirantes.

Entre as obras que estarão expostas poderão ser apreciados os quadros de Tarsila do Amaral, como Antropofagia (1929), São Paulo (1924) e Carnaval em Madureira (1924); de Di Cavalcanti, Mulheres na Janela (1926) e Mulher e paisagem (1931); de Lasar Segall, Duas Crianças (1920) e Bananal (1927); Anita Malfati: Tropical (1917), além de Brecheret, Ismael Nery, Guignard, Cícero Dias, Bonadei e Volpi. As telas foram produzidas entre 1920 e 1950.

A mostra deve permanecer aberta até junho de 2005 e será acompanhada de um catálogo ilustrado, com texto inédito da curadora Maria Alice Milliet.

A parceria com a Fundação Nemirovsky é uma ação que consolida o projeto da Estação Pinacoteca, novo espaço da Pinacoteca do Estado, inaugurado em janeiro deste ano, e que evidencia uma nova estratégia de colaboração entre o Poder Público e a iniciativa privada na área cultural.

Alckmin ressaltou o grande valor histórico da coleção e disse que esta parceria vai abrir oportunidades para que os jovens e estudantes de escolas públicas tenham contato com as obras de grandes artistas brasileiros. “O que vai ajudar na formação dos nossos jovens e de nossa sociedade. Com certeza esta coleção belíssima vai se repercutir por todo o País”, disse.

Emocionada, Paulina Nemirovsky comentou que uma das suas preocupações era saber que órgão poderia abrigar seu amplo acervo, e que sentiu-se tranqüila ao saber que suas obras irão para uma instituição segura como a Pinacoteca. Um dos grandes sonhos de seu marido, segundo ela, era possibilitar que seu acervo de quadros e esculturas fosse compartilhado por um público maior e não ficasse restrito ao ambiente familiar. Parte das obras foi exposta há dois anos no Museu de Arte Moderna (MAM).

História

A Coleção Nemirovsky foi formada pelo médico e empresário José Nemirovsky, a partir de 1958 quando adquiriu um busto esculpido em madeira, pensando ser de Aleijadinho. Mais tarde provou-se que a escultura era procedente da Europa. A decepção inicial não o desestimulou, que compôs o acervo com obras de excepcional qualidade das décadas de 20 a 50. Nela podem ser vistos os melhores quadros de Tarsila, Brecheret, Di Cavalcanti, Lasar Segall, Rego Monteiro, Nery, Goeldi, Abramo, Guinard, Cícero Dias, Bonadei, Volpi, Dacosta, Schendel, Clark, Oiticica, Gerchman, A. H. Amaral, entre outros.

Lilian Santos/Valéria Cintra