Serra entrega vicinais e anuncia obra viária em Limeira

Limeira, 9 de outubro de 2009

sex, 09/10/2009 - 16h51 | Do Portal do Governo

Governador José Serra: Eu queria dar o meu boa tarde aqui a todos e a todas. Cumprimentar o prefeito (de Limeira) Silvio (Félix da Silva). Cumprimentar o presidente da Assembléia Legislativa (do Estado de São Paulo), deputado Barros Munhoz e, da mesma maneira, o Vaz de Lima, o anterior presidente (da Assembléia). (O deputado estadual) Davi Zaia também.

Queria cumprimentar o vereador Elizeu (Daniel dos Santos), que é o presidente da Câmara (de Vereadores de Limeira); o Guilherme Campos, que nos falou aqui, deputado federal; o deputado (estadual) Otoniel (Lima), que nos falou; o Jonas Donizette; o nosso secretário (de Transportes do Estado) Mauro Arce; o nosso secretário (de Estado) da Saúde, Dr. (Luiz Roberto) Barradas e os prefeitos de Cordeirópolis, Americana, Iracemápolis, Mogi Mirim, Artur Nogueira, Vargem Grande do Sul, Leme, Conchal, Rio Claro, Santa Cruz da Conceição, Engenheiro Coelho. E queria saudar também o Kleber (Antonio Torquato Altale), que é diretor do DEINTER (Departamento de Polícia Judiciária do Interior) aqui, secretários municipais, a comunidade do bairro, a todos e a todas.

Eu já anunciei isso na conferência de imprensa que fizemos lá no futuro AME (Ambulatório Médico de Especialidades): nós estamos repassando para a Prefeitura (de Limeira) perto de 6,8 milhões de reais, que serão liberados no andamento da obra, para a construção do Anel Viário. Em geral, a tradição é o Estado chegar e fazer – mas, quando a Prefeitura é parceira, a gente faz através de Prefeitura. E não é critério partidário. No caso de São Vicente (na Região Metropolitana da Baixada Santista), por exemplo, estamos repassando 50 milhões (de reais) para obras nas estradas de lá, e o prefeito é do PSB. Hoje, aqui, o prefeito é do PDT – não é? E estaríamos fazendo isso qualquer que fosse a filiação partidária do prefeito, porque nós estamos trabalhando pela população, não estamos trabalhando por uma disputa eleitoral. Essa é a maneira correta de administrar o Estado.

Outra parceria importante é deste ano, que eu quero repetir aqui: vai ser um grande AME, literalmente, porque não é brincadeira. Uma capacidade para 15 mil e 500 consultas, para 47 mil exames médicos – inclui exame de sangue, essas coisas, mas também exame de imagem, enfim, todo tipo de exame – 4 mil sessões de fisioterapia por mês e 20… quantas especialidades, Barradas? 24, se não me engano, especialidades… de maneira que isso enfrenta um pouco o estrangulamento no atendimento à saúde em São Paulo, que é consulta. O problema de São Paulo não é hospital, hoje; o problema é consulta – é muito difícil ter especialistas.

Por isso é que nós criamos esta rede de AMEs no Estado inteiro. Vamos logo inaugurar um em Rio Claro, em novembro. Já temos outros aqui na região – acho que Piracicaba também tem, Santa Bárbara que tem, inclusive, um que é mais especializado até em cirurgias. E o AME é uma iniciativa regional, isso é para entender aqui todos os Municípios da região – e os prefeitos vão, naturalmente, se articular aqui com a direção do AME, para transporte do pessoal. Enfim, é uma articulação fácil de se fazer. Para a Prefeitura é uma boa, porque alivia o trabalho da Prefeitura, alivia os hospitais, porque hospital não é lugar de consulta, acaba sendo por falta de opção. Então, nesse sentido é um salto para cima na Saúde, muito importante. E o prédio que a Prefeitura nos repassou é muito bom. Nós vamos investir lá mais de 3 milhões de reais para arrumar e botar equipamento. Mas é um prédio muito bom, e muito satisfatório para efeito de funcionamento dessa unidade de saúde.

O prefeito (de Limeira) lembrou aqui uma coisa que eu tinha esquecido de falar, que é a Vila Dignidade, que é um conjunto residencial para idosos. Tem um sistema especial de moradia, porque não é compra. E começamos essa experiência aqui em São Paulo na nossa gestão – e Limeira foi um dos lugares escolhidos, o prefeito deu o terreno, se não me engano. E vai ter uma experiência muito interessante, porque esse é um problema dramático para as pessoas idosas que não têm parentes, ou (que) os parentes não querem ficar com elas, e têm dificuldades de moradia. Então, a Vila Dignidade é uma experiência que, se Deus quiser, vai dar certo, porque inclusive permite até uma atenção médica de saúde mais eficiente, porque tem o pessoal concentrado na área.

No que se refere às vicinais, as de hoje aqui, que nós vamos inaugurar a placa simbolicamente, a que vai de Limeira a Artur Nogueira, são cerca de 21 quilômetros que foram refeitos – é uma vicinal grande, custa 5 milhões de reais. É incrível, uma vicinal vai custar quase igual a esse Anel Viário, vai custar uns 70% do Anel Viário. E, como eu disse, a ligação de um bairro de Cordeirópolis, Cascalho, com a (rodovia) Washington Luiz, que é uma obra de 4,5 quilômetros. O programa Pró-Vicinais é um programa vasto, no Estado de São Paulo inteiro – e aqui nesta região ele está bem contemplado, são cerca de 150 quilômetros… É isso, Mauro (Arce, secretário de Estado dos Transportes)? Perdão, 708 quilômetros. Cento e poucos (quilômetros) foi na primeira etapa do Pró-Vicinais, que são estradas como novas, porque a gente gasta metade do preço de uma vicinal nova – e não tem que fazer desapropriação, terraplanagem etc. Ou seja: praticamente a estrada é tida como nova. Mas aqui nós vamos fazer perto de 500 quilômetros também de novas vicinais, algumas em andamento.

Portanto, estamos cuidando da estrutura viária da região – e de todo interior, na verdade. São Paulo tem o melhor sistema de estradas do Brasil, de longe – e nós continuamos investindo, e investindo muito nessa área, como estamos fazendo em muitas outras áreas, na área da Saúde, na área de Educação, na área da Educação Técnica, na área da Educação Tecnológica. E nosso interior responde muito aos gastos, aos investimentos do governo. O interior funciona. São Paulo está divido em duas regiões, basicamente, para efeito das políticas que a gente leva a cabo, que é o interior e a Grande São Paulo – metade da população, mais ou menos, em cada uma dessas duas regiões. A região mais desenvolvida, de longe, é o interior de São Paulo, que é a mais desenvolvida do Brasil. É uma região que deu certo, sem muita presença do Poder Público, exceto o apoio da infraestrutura econômico-social. Mas não tem empresa estatal no interior – realmente é uma região que caminha sozinha, com muita capacidade de empreendedorismo, com muita capacidade de trabalho, com excelentes administradores que a gente tem no nosso Estado, nas Prefeituras, nos secretários municipais. Enfim, dá gosto de fazer esse trabalho, de fazer essa parceria.

Eu queria dizer ao pessoal de Limeira, e aqui da região – e ao prefeito Silvio e aos parlamentares – que nós contamos com vocês para esse nosso trabalho. Aliás, no caso da Assembléia Legislativa (do Estado de São Paulo) temos tido uma parceira de primeira, em grande medida devido à atuação do nosso líder, o (Barros) Munhoz, que foi líder do Governo nos 2 primeiros anos e hoje é presidente da Assembléia. E hoje temos aqui, aliás, o primeiro vice-líder do Governo, que é o Jonas Donizette. E, realmente, a parceria com a Assembléia (Legislativa) é muito importante, porque é através dessa parceria que nós obtemos, obtivemos e vamos obter os recursos para manter os investimentos. São Paulo investe 20 bilhões (de reais) este ano, apesar da crise. E mais do que anunciar, nós estamos fazendo acontecer, porque a gente sabe fazer acontecer também, o que não é comum no nosso País.

Muito obrigado e um grande abraço!