Pesquisa do Procon revela diferença de até 421,16% nos preços dos medicamentos

A Fundação Procon-SP, vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, realizou o segundo levantamento comparativo de preços de medicamentos. A pesquisa, que aconteceu de 3 a 5 de março, constatou diferenças de até 421,16% entre os medicamentos genéricos e de até 123,46% entre os medicamentos de referência, o que aponta para a […]

qui, 25/03/2010 - 16h00 | Do Portal do Governo

A Fundação Procon-SP, vinculada à Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania, realizou o segundo levantamento comparativo de preços de medicamentos. A pesquisa, que aconteceu de 3 a 5 de março, constatou diferenças de até 421,16% entre os medicamentos genéricos e de até 123,46% entre os medicamentos de referência, o que aponta para a importância de comparar os preços em diversos estabelecimentos antes de efetuar uma compra.

Com relação aos medicamentos genéricos, a pesquisa concluiu que comparando-se os preços médios dos genéricos com os de referência de mesma apresentação, os primeiros são, em média, 54,39% mais baratos, o que pode representar uma grande economia ao bolso do consumidor. Para exemplificar, o medicamento genérico cloridrato de fluoxetina – 20 mg com 28 cápsulas foi encontrado por aproximadamente 72,36% mais barato que o respectivo medicamento de referência.

Na comparação entre preços de medicamentos de referência e genéricos, observa-se que a diferença pode ser exorbitante. Por serem produzidos por diversos laboratórios, os medicamentos genéricos são, em geral, mais baratos. Mas é bom lembrar que um genérico de um mesmo laboratório também pode apresentar preços diferentes entre as drogarias/farmácias. Logo, é essencial a pesquisa de preços sempre aliada à recomendação e prescrição médica.

Confira a planilha e os gráficos dessa pesquisa.

Veja quais são as maiores diferenças:

Entre os medicamentos de referência
Diferença: 123,46%
Medicamento: Valium (Diazepam) – Roche
Apresentação: 10 mg – 20 comprimidos
Maior preço: R$ 9,05
Menor preço: R$ 4,05
Diferença valor absoluto: R$ 5,00

Entre os medicamentos genéricos
Diferença: 421,16%
Medicamento: Diclofenaco Sódico
Apresentação: 50 mg – 20 comprimidos
Maior preço: R$ 9,85
Menor preço: R$ 1,89
Diferença valor absoluto: R$ 7,96

A maior quantidade de produtos com menor preço (41 produtos dos 80 encontrados) foi constatada na Drogaria Pacheco, na Região Norte da cidade. Acompanhe o número de itens, por estabelecimento, com preços menores ou iguais aos preços médios obtidos:

Região Norte
Drogaria Pacheco – 75 itens de 80 encontrados (94%)
Farma & Cia – 03 itens de 62 encontrados (5%)
Promofarma – 06 itens de 80 encontrados (8%)

Região Sul
Farma Conde – 77 itens de 81 encontrados (95%)
Droga Raia – 58 itens de 85 encontrados (68%)
Drogaria Pão de Açúcar – 29 itens de 65 encontrados (45%)

Região Leste
Drogaria Extra – 44 itens de 86 encontrados (51%)
Drogaria São Paulo – 19 itens de 86 encontrados (22%)
Drogasil – 79 itens de 87 encontrados (91%)

Região Oeste
Droga Verde – 54 itens de 80 encontrados (68%)
Farmais – 70 itens de 75 encontrados (93%)
Drogaria Farto – 14 itens de 81 encontrados (17%)

Região Centro
Drogaria Campeã – 13 itens de 80 encontrados (16%)
Pague Menos – 68 itens de 86 encontrados (79%)
Drogão – 03 itens de 87 encontrados (3%)

Os medicamentos têm um preço máximo ao consumidor (PMC) definido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) e as farmácias e drogarias podem praticar qualquer preço para o medicamento, desde que não ultrapassem esse valor máximo. Os técnicos da fundação verificaram fatores determinantes na formação de preços no mercado de medicamentos, tais como: os descontos podem variar de acordo com as condições locais de mercado, rentabilidade da loja, condições comerciais de compra; em algumas drogarias de rede há políticas comerciais diferentes para cada canal de venda (loja física, telefone e site – loja virtual); há redes que são regidas pelo sistema de franquia, não havendo uma política única de preços entre os franqueados.

O levantamento, que envolveu 15 drogarias distribuídas pelas cinco regiões de São Paulo, pesquisou 99 medicamentos – estão sendo divulgados 92, sendo 55 de referência e 37 genéricos. Tomou-se como base duas tabelas de medicamentos, contendo itens do Programa “Dose Certa”, sendo 39 da Fundação para o Remédio Popular (Furp) e 28 produtos “não FURP”.

Com base na diversidade de política de preços adotada pelos diversos estabelecimentos e para que fosse possível efetuar um comparativo, foram definidos os seguintes parâmetros: levantamento, feito pessoalmente, dos preços em farmácia/drogaria (loja física), de médio e grande porte, escolhidas aleatoriamente, distribuídas pelas cinco regiões do município de São Paulo; pesquisa somente do medicamento de referência e o genérico de menor preço (apresentação definida pelo Procon, independente do laboratório) encontrado no estabelecimento no dia da coleta; utilização como critério o “preço com desconto máximo para o cliente comum”, independe da exigência de cadastro do consumidor. Entendendo-se como cliente comum aquele que não possui nenhuma condição especial (aposentado, empresas, planos de saúde conveniados, etc.).

Percentual de abastecimento de produtos, por região, em relação ao total de 92 itens divulgados:

Região Norte
Drogaria Pacheco – 80 itens (87%)
Farma & Cia – 62 itens (67%)
Promofarma – 80 itens (87%)

Região Sul
Farma Conde – 81 itens (88%)
Droga Raia – 85 itens (92%)
Drogaria Pão de Açúcar – 65 itens (71%)

Região Leste
Drogaria Extra – 86 itens (93%)
Drogaria São Paulo – 86 itens (93%)
Drogasil – 87 itens (95%)

Região Oeste
Droga Verde – 80 itens (87%)
Farmais – 75 itens (82%)
Drogaria Farto – 81 itens (88%)

Região Centro
Drogaria Campeã – 80 itens (87%)
Pague Menos – 86 itens (93%)
Drogão – 87 itens (95%)

Do Procon