Evento na USP destaca as culturas do Brasil e da República Tcheca

Mesa-redonda será realizada na próxima terça-feira (21), na capital; ação discutirá relações intelectuais entre as nações

seg, 20/08/2018 - 13h03 | Do Portal do Governo

Em convênio com a Faculdade de Letras da Universidade Carolina de Praga, na República Tcheca, o Instituto de Estudos Brasileiros (IEB) da Universidade de São Paulo (USP) realiza na próxima terça-feira (21), às 14h, a mesa-redonda “Brasil – República Tcheca: Diálogos Culturais”. Vale destacar que a iniciativa busca discutir as relações culturais e intelectuais entre os dois países.

Durante o evento, será inaugurada a exposição “90 Anos da Língua Portuguesa na Universidade Carolina, em Praga”, comemorativa das nove décadas de ensino do português na Faculdade de Letras da instituição e dos 60 anos do curso de Português. A abertura tem participação de Pavla Havrlíková, cônsul-geral da República Tcheca em São Paulo, e do diretor do IEB, professor Paulo Teixeira Iumatti.

Parceria

De acordo com o organizador da jornada, professor Marcos Antonio de Moraes, do IEB, o evento integra um convênio acadêmico internacional iniciado em 2014, que já rendeu diversos desdobramentos de caráter científico. Entre os resultados dessa parceria estão cursos de pós-graduação, colóquios e jornadas, além de intercâmbios entre alunos das duas universidades e a realização de pesquisas.

“O projeto tende a crescer, na medida em que temos que pensar em outros aspectos da história e dos vínculos culturais dos dois países”, ressalta o docente. Além disso, o professor lembra que a data do evento é justamente o dia em que chega ao fim a Primavera de Praga, movimento de democratização da então chamada Tchecoslováquia, ocorrido em 1968, durante o domínio da União Soviética.

A conferência de abertura será ministrada pela professora Walnice Nogueira Galvão, docente da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e pesquisadora sênior do IEB. Na sequência, a professora e historiadora Simona Binková, da Universidade Carolina de Praga, abordará “As relações tcheco-brasileiras através de séculos”.

Segundo a professora Šárka Grauová, da Universidade Carolina de Praga, que também organiza a jornada, Simona Binková destacará o interesse dos tchecos pelo Brasil, desde os missionários jesuítas e o antropólogo e etnógrafo Alberto Vojtěch Frič (1882-1944) até a diva de teatro Klementina Kalašová (1850-1889). Um exemplo da colaboração ativa entre artistas tchecos e brasileiros foi a visita de um grupo de concretistas paulistas, nos anos 60, a Praga.

Autores

A correspondência entre a tradutora Pavla Lidmilová e o poeta Murilo Rubião é assunto do professor Cleber Araújo Cabral, da Universidade Vale do Rio Verde, em Minas Gerais. O docente falará do sucesso do poeta e dos contos fantásticos na República Tcheca. “Além de artigos de crítica literária, Pavla traduziu, do português para o tcheco, autores muito distintos em termos de linguagem, estilos e temáticas”, destaca o palestrante, citando, além de Murilo Rubião, outros nomes da literatura brasileira, como Clarice Lispector, Graciliano Ramos e Guimarães Rosa.

Em uma entrevista publicada na edição 43 da Revista do IEB, de 2006, Pavla Lidmilová se referiu a Guimarães Rosa como “minha paixão”. “As histórias de Guimarães Rosa foram, para mim, naquele tempo, há mais de 40 anos, uma revelação”, conta a autora, na entrevista.

Outra palestra no evento será “História da filologia portuguesa na Universidade Carolina”, de Filip Vavřínek, mestre pela Universidade Carolina de Praga. Para o professor Marcos Antonio de Moraes, o assunto é muito importante porque é o modo como o português foi lido e assimilado na República Tcheca.

A língua, muitas vezes, é considerada exótica, fenômeno que contrasta com o caráter universalista, que faz dela uma verdadeira ponte entre culturas. O crescimento mundial do número de alunos, a implementação do português como língua regular nos sistemas de ensino de muitos países, a utilização como língua oficial de várias organizações internacionais e o aumento do número de trabalhos científicos sobre a língua portuguesa provam que o interesse está em crescimento.

Estudos

Para encerrar o evento, será discutido o tema “Os estudos luso-brasileiros na Universidade Carolina – Desafios e perspectivas”, com Šárka Grauová. “É a primeira vez que no Brasil se fala nas relações tcheco-brasileiras”, revela a professora Šárka Grauová.

Na opinião do organizador, o evento é um convite para que as pessoas reconheçam a literatura e a história tcheca como fontes de pesquisa. “É um evento multicultural, que vai falar de ‘culturas’, no sentido mais forte da palavra, como representações em vários campos do conhecimento e das artes”, conclui o professor Marcos Antonio de Moraes.

Com entrada grátis, a mesa-redonda será realizada na Avenida Professor Luciano Gualberto, 78, na Cidade Universitária, na capital paulista. Os interessados podem obter mais informações pelo telefone (11) 3091-1149 e no site do evento.