Governo do Estado de São Paulo

“Dia de Campo” aborda técnicas para integração entre pecuária e lavoura

Realizado em Botucatu, no interior paulista, evento reuniu produtores, estudantes e profissionais do setor agropecuário

Organizado pela Estância Lívia, pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ) da Unesp Botucatu e pela Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati) Regional Botucatu, ligada à Secretaria de Agricultura e Abastecimento, com apoio de parceiros públicos e privados, o “Dia de Campo” reuniu mais de 250 pessoas no último sábado (3), entre produtores, profissionais do setor agropecuário e estudantes, em torno de um tema que ganha força na região: a Integração Lavoura-Pecuária (ILP).

“A demanda por informações sobre a ILP tem crescido, em decorrência da adoção desse sistema em algumas propriedades da região e dos excelentes resultados obtidos, como os que vêm obtendo a Estância Lívia, que sediou o evento”, explica Júlio Romeiro, diretor da CATI Regional Botucatu. Ele creditou o sucesso da realização do evento à sinergia entre as entidades públicas e privadas do município.

Sobre o tema central, o diretor da CATI Regional Botucatu destaca que foi realizado um diagnóstico para embasar o incentivo à adoção da Integração Lavoura e Pecuária. “A pecuária na região e em grande parte do Estado é extensiva. Diante desse cenário, nós nos perguntamos o que fazer para aumentar a rentabilidade nas propriedades que exploram pecuárias de corte e leite e melhorar as condições das pastagens, sendo que reformá-las representa um custo de aproximadamente R$ 2.500 por hectare. Com a implantação dessa tecnologia, consegue-se reformar as pastagens com um custo de cerca R$ 900”, informa Júlio Romeiro.

“Na ILP, planta-se o milho para produção de silagem ou grãos e junto com o milho semeado colocam-se as sementes do pasto, com isso é possível reduzir o custo e antecipar a reforma da pastagem. Assim, o produtor rural é beneficiado”, acrescenta.

Agricultores

Alexandre Ghelardi, proprietário da Estância Lívia, é um dos produtores que já trabalha com o sistema e aponta os benefícios da integração. “O objetivo do Dia de Campo foi mostrar os resultados obtidos com a adoção do sistema, principalmente para os criadores da região. Na nossa área, a ILP trouxe melhoria das pastagens, melhor aproveitamento do desenvolvimento e engorda dos bois; com ela estamos reformando todas as áreas degradadas da fazenda e os resultados têm sido fantásticos”, avalia.

Sobre o “Dia de Campo”, o professor da FMVZ Paulo Meirelles, reforça a relevância do evento para produtores e universidade. “Essa iniciativa para nós, da universidade, foi muito importante, pois nos auxiliou a transferir tecnologia gerada pelos cientistas e por outras instituições de pesquisa, do Brasil e do exterior, para os produtores rurais”, afirma.

Participante dos eventos organizados ou apoiados pela CATI, o produtor Antonio de Oliveira, do município de Bofete, saiu do “Dia de Campo” com informações para adotar a ILP no sítio em que tem pecuária de corte e planta grãos. “Diante do que eu vi, a Integração Lavoura-Pecuária é o caminho. O produtor que não adotar tecnologias ficará para trás e fora do mercado. Pretendo adaptar algumas das tecnologias mostradas, pois minha área é pequena. Para isso, vou continuar contando com o apoio dos técnicos da Casa da Agricultura, que sempre nos apoiam”, diz.

Programação

O “Dia de Campo” foi dividido em palestras e estações. Segundo Cristiano Magalhães Pariz, engenheiro agrônomo e coordenador do evento, os temas foram escolhidos de maneira que os participantes tivessem uma visão ampla do sistema e pudessem tirar dúvidas recorrentes, como as ligadas à produção e armazenagem de silagem.

“Encerramos as atividades gratificados com o número de participantes, muitos dos quais vieram de um raio de 100 quilômetros e um deles veio de Mato Grosso do Sul, o que nos mostrou a importância do tema e com as parcerias celebradas para sua realização. Nosso desejo é que seja o primeiro de muitos”, ressalta.

A programação foi encerrada com uma troca de experiências e informações durante um almoço tipicamente rural, com churrasco de chão.

Integração Lavoura-Pecuária

A Integração Lavoura-Pecuária (ILP) é uma alternativa de aumento de produtividade para a agricultura e para a pecuária, ao mesmo tempo em que ajuda a recuperação de áreas degradadas. O sistema é semelhante ao de rotação de culturas.

No verão, planta-se milho ou soja. Pelo sistema de ILP, o produtor concilia a pecuária bovina e a produção de grãos na mesma área de terra. No inverno, boi e vacas alimentam-se de forrageiras e pastagens. A rotação de culturas é feita por técnicas de plantio direto, que reduzem o risco dos sistemas tradicionais de produção nas propriedades.