A receita da avó nem sempre é a indicada

Antigamente, era comum as avós e mães indicarem um copo de leite frio na hora da queimação. A Doutora Karin, no entanto, recomenda que não é bom tomá-lo sozinho e muito menos gelado. “O leite pode melhorar a sensação de queimação nos primeiros trinta minutos, mas o quadro pode piorar a partir do momento que […]

dom, 22/07/2018 - 15h00 | Do Portal do Governo

Antigamente, era comum as avós e mães indicarem um copo de leite frio na hora da queimação. A Doutora Karin, no entanto, recomenda que não é bom tomá-lo sozinho e muito menos gelado. “O leite pode melhorar a sensação de queimação nos primeiros trinta minutos, mas o quadro pode piorar a partir do momento que ele começa a fermentar dentro do estômago”, comenta ela. “Outro ponto é que as pessoas com problemas gástricos devem consumir os alimentos sempre em temperatura morna, nunca muito quente, nem muito gelado”.

Apesar de muita gente recorrer a ele, outro mito desmistificado é o suco feito da batata. Não há estudos científicos que comprovam sua eficiência. “O melhor jeito de tratar e prevenir a gastrite ainda é manter um peso adequado e manter uma vida saudável”.

A nutricionista dá algumas dicas valiosas, cientificamente comprovadas:

 

– Mantenha uma alimentação balanceada, com o máximo de alimentos in natura;

 

– Coma devagar, mastigando bem;

 

– Não fique muito tempo em jejum. O recomendando é fazer de cinco a seis refeições ao dia, sempre em porções reduzidas e em um intervalo de três horas;

 

– Evite tomar líquido junto com as refeições;

 

– Pratique atividades físicas, sempre com acompanhamento médico.