Qua, 23/12/15 - 16h22

Policiais militares vão reforçar combate ao mosquito Aedes aegypti

Medida foi autorizada nesta quarta-feira (23) pelo governador Geraldo Alckmin por meio da Dejem

  • Download Foto: A2img / Gilberto Marques
    Alckmin assina autorização para policiais militares ajudarem no combate ao mosquito Aedes aegypti

    Alckmin assina autorização para policiais militares ajudarem no combate ao mosquito Aedes aegypti

O trabalho de combate ao mosquito Aedes aegypti em São Paulo terá o reforço de policiais militares a partir de janeiro. O governador Geraldo Alckmin assinou nesta quarta-feira (23) autorização para que mil policiais participem de mutirões por meio da Dejem (Diária Especial por Jornada Extraordinária de Trabalho Policial Militar).


"Autorizamos mais mil policiais militares, através da Dejem. Nenhum policial vai sair da sua tarefa de policiamento em segurança pública, ele terá uma jornada extra, que o Governo vai pagar para trabalhar no combate aos criadouros para matar o mosquito", explicou o governador.


As novas vagas são fruto de um convênio entre as secretarias da Saúde e da Segurança Pública. A parceria tem o objetivo de reforçar o apoio de PMs aos agentes de saúde de todo o Estado de São Paulo, especialmente no combate ao mosquito.


Ainda nesta quarta, São Paulo ganhou uma Sala de Comando e Controle Estadual das Arboviroses, que vai monitorar a presença do mosquito e a evolução dos casos de doenças transmitidas pelo Aedes aegypti: dengue, chicungunya, zica vírus e febre amarela.


Além da PM, a Defesa Civil também se unirá aos agentes da Superintendência de Controle de Endemias (Sucen), para que juntos ampliem o número de vistorias de locais com possíveis criadouros do Aedes Aegypti, orientando moradores quanto à prevenção e removendo possíveis larvas do mosquito.


Diária Especial
Na Dejem, cada PM pode trabalhar até oito horas por dia (fora da jornada normal), por até 10 dias no mês, para que o serviço extraordinário não prejudique o descanso. A remuneração atual é de R$ 204 para oficiais e de R$ 170 para soldados, se cumpridas as oito horas de trabalho.


A Diária Especial foi criada pelo governador Geraldo Alckmin em dezembro de 2013 e conta hoje com 3.273 vagas para todo o Estado. Além do policiamento especial em auxílio à Secretaria da Saúde, as ações da Polícia Militar em regime especial, a DEJEM, também contemplam o patrulhamento de fóruns e unidades da Fundação Casa, além de atendimento no 190.


Do Portal do Governo do Estado