Sáb, 09/12/00 - 14h00

Sorteio de casas populares contempla região de Presidente Prudente

Somente na manhã deste sábado, foram 171 unidades para os municípios de Rancharia e Caiabu

Somente na manhã deste sábado, foram 171 unidades para os municípios de Rancharia e Caiabu

O vice-governador Geraldo Alckmin sorteou, na manhã deste sábado, dia 9, mais 171 casas populares da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) na região Oeste do Estado. Desta vez os municípios beneficiados foram Rancharia, com 65 unidades e Caiabu, com 106 unidades. As unidades serão construídas por meio do Programa Habiteto, uma parceria da qual o Governo do Estado entra com o material e oferece assistência técnica nas obras, a Prefeitura doa o terreno e faz as obras de infra-estrutura e os próprios moradores constróem as casas.
“Quem não foi sorteado hoje não deve perder as esperanças, porque o governador Mário Covas já autorizou a construção de outras 65 unidades. Só depende da doação do terreno pela Prefeitura”, informou Alckmin durante evento em Rancharia. A cidade teve 765 inscritos para o sorteio das 65 casas. Do total, 46 unidades foram destinadas à famílias com renda de um a dois salários mínimos; 11 para quem ganha de dois a três mínimos; cinco casas para famílias com renda de até seis mínimos; e três unidades para famílias com portadores de deficiência.
Alckmin lembrou a forte presença feminina nos mutirões e que as escrituras são registradas no nome da mulher para protegê-la numa eventual separação. O vice-governador também destacou a importância da casas populares, cujas mensalidades não ultrapassam R$ 33 enquanto um aluguel local gira em torno de R$ 150. Para o prefeito de Rancharia, Carlos de Camargo Baptista (PSDB), o fator importante do programa habitacional do Governo Covas é a “decência e honestidade dos sorteios, que não dão margem para marmeladas”, acrescentou.
“Estou feliz porque pago aluguel há 22 anos e agora teremos casa própria”, comemorou Carlos Alberto de Camargo. Casado, com quatro filhos e mais um em gestação, o sorteado é um auxiliar de cozinha que ganha R$ 325 mensais e ainda paga R$ 100 de aluguel. Outra inquilina que vai deixar de gastar R$ 150 por mês é Antonia Alves. Mãe de três crianças e com renda de apenas R$ 500 somada à do segundo marido, ela teve de assumir aluguel sozinha quando separou do primeiro companheiro. Hoje, destaca a condição de futura proprietária. “A escritura vai sair no meu nome”, enfatizou ela.

Solidariedade

Alckmin agradeceu a enorme manifestação de solidariedade pela saúde do governador Mário Covas, que tem recebido de populares em todos os municípios visitados. Antes do sorteio, Alckmin visitou obras de recapeamento asfáltico no centro da cidade, realizadas numa parceria entre Governo e Prefeitura. O secretário da Habitação, Francisco Prado, lembrou que além dessa, o Governo paulista vem fazendo outros investimentos em Racharia, como obras na Vila Industrial e no balneário municipal.
Em Caiabu, o sorteio das 106 unidades foi dividido em 66 casas para o município, 13 para o Distrito de Boa Esperança e 27 para o Distrito de Iubatinga. Do total, cinco unidades foram reservadas para portadores de deficiência. O sorteio teve 297 famílias inscritas e as moradias também serão erguidas pelo Programa Habiteto.

Maior programa habitacional

Desde 1995, o Governo Covas já entregou mais de 132,5 mil casas e apartamentos em todas as regiões do Estado. Isso representa 689 empreendimentos comercializados pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU). A empresa mantém hoje mais 429 obras em andamento. O Programa Habiteto já beneficiou mais de 10,4 mil famílias, desde 1995, e atualmente existem 18 mil unidades em construção. O Programa Empreitada Global já entregou mais de 71 mil moradias no mesmo período e outras 16.970 estão em construção. O Governo do Estado mantém ainda outros programas habitacionais, como o de Mutirão na Região Metropolitana, Programa de Atuação em Cortiços (PAC), Programa Carta de Crédito e Programa de Arrendamento Residencial (PAR), esses dois últimos em parceria com a Caixa Econômica Federal. Existem ainda os programas de Moradia Indígena, de urbanização de favelas e de regularização de áreas.
Para acabar com as freqüentes denúncias de favorecimento político na entrega das moradias, a gestão Covas instituiu sorteios públicos com a presença de todos os inscritos. Além disso, 5% dos imóveis são destinados às famílias de portadores de deficiência e 5% para idosos com mais de 60 anos.
Os sorteados, para adquirir as moradias populares, têm de comprovar renda mensal entre um e dez salários mínimos (para os idosos a exigência é de até cinco salários mínimos), ter família constituída, morar ou trabalhar no município há pelo menos três anos e não possuir outro imóvel no Estado de São Paulo nem financiamento habitacional no País. Outra novidade é a assinatura do contrato ter o nome da mulher em primeiro lugar. Em caso de morte do marido, a casa já está no nome da esposa, evitando transtornos burocráticos. Também na possibilidade de eventual separação é a mulher que, na grande maioria das vezes, permanece em casa cuidando dos filhos.

Comentários: 0


Comentário fechado

Após 1 mês de publicação o comentário fica bloqueado. Envie sua mensagem para o fale conosco.

Enviar

Faça seu Cadastro

Cadastre-se para poder comentar as notícias além de receber conteúdos exclusivos.

Cadastrar

Atualize seu dados

Mantenha seus dados cadastrais atualizados para ampliar sua participação junto ao portal.

Atualizar