Qui, 01/09/11 - 09h00

SP lança novos serviços nos Restaurantes Bom Prato da capital

Café da manhã a R$ 0,50, cursos profissionalizantes do Via Rápida e internet gratuita são algumas das novidades na unidade do Grajaú

(Atualizado às 11h39)

O Estado de São Paulo, por meio do governador Geraldo Alckmin, lançou nesta quinta-feira, 1º de setembro, os novos serviços do Restaurante Bom Prato em toda capital: café da manhã a R$ 0,50, cursos profissionalizantes na área de alimentos do Programa Via Rápida e internet gratuita por meio do postos do Acessa São Paulo.

"Todos os Restaurantes Bom Prato terão Acessa SP para jovens que vêm fazer trabalho escolar, trabalhadores, trabalhadoras que vêm fazer currículo, enfim, acessar a internet e o computador. No período da tarde nos restaurantes terão o Via Rápida para o Emprego, formando pizzaiolo, cozinheiro, ajudante de cozinha, higienização de alimentos, copeiro, padeiro, confeiteiro, enfim, toda área de formação profissional voltada à gastronomia", afirmou o governador.

São 19 unidades na capital paulista, que oferecem 28.160 almoços saudáveis e ricos em nutrientes, de segunda a sexta-feira, por apenas R$ 1,00. A partir de segunda, estão autorizadas a passar a servir 300 cafés da manhã cada, a partir das 6h, totalizando 33.860 refeições diárias. O cardápio básico será: café com leite, pão com frios e uma fruta da época. O Governo do Estado subsidiará R$ 0,80 da refeição matinal e o usuário pagará R$ 0,50.

Para modernizar o controle de refeições, será implantado sistema digital, com lançamento do cartão magnético do Bom Prato. São três tipos de cartões: café da manhã, almoço adulto e almoço criança. A diferenciação se justifica com a gratuidade da refeição para menores de 6 anos.

Outra novidade da rede de Restaurantes Populares é a oferta de cursos de qualificação profissional na área de alimentos do Via Rápida, programa desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, por meio do Centro Paula Souza, parceira do Bom Prato. Eles serão realizados após o horário de atendimento do restaurante, utilizando a infra-estrutura disponível.

As vagas serão destinadas, preferencialmente, aos beneficiários dos programas sociais de transferência de renda Ação Jovem e Renda Cidadã, que recebem benefício mensal de R$ 80. A capacitação terá 55 dias de duração, em média, e será certificada para o mercado de trabalho. Entre os cursos programados estão: ajudante de cozinha, cozinha industrial, culinária básica, panificação artesanal, confeitaria básica, pizzaiolo, manipulação e higienização de alimentos. As aulas serão gratuitas.

Os alunos receberão material didático, uniforme e subsídio de transporte no valor de R$ 120. Os desempregados, sem seguro desemprego ou benefício previdenciário, também terão direito à bolsa-auxílio mensal de R$ 210 durante o período do curso.

O Programa Acessa São Paulo, coordenado pela Secretaria de Gestão, também está na parceria e vai implantar, gradativamente, um posto em cada unidade que apresentar infraestrutura. No Bom Prato Grajaú, serão instalados equipamentos ligados à Internet para o uso do cidadão, permitindo assim a inclusão digital da população em situação de vulnerabilidade social que frequenta a unidade.


Sobre o Bom Prato


Em 19 de janeiro de 2011, por meio do decreto nº 56.674 assinado pelo governador Geraldo Alckmin, o programa Bom Prato passou a ser gerido pela Secretaria de Desenvolvimento Social - Seds, deixando a Secretaria de Agricultura e Abastecimento. Desde sua implantação, entre dezembro de 2000 e dezembro de 2010, foram servidas 76 milhões de refeições para a população em situação de vulnerabilidade social.

O Bom Prato conta atualmente com 33 unidades instaladas em todo Estado de São Paulo, sendo 19 na Capital, 4 na Grande São Paulo, 3 no litoral e 7 no interior paulista, totalizando 47 mil refeições servidas diariamente, que são servidas a partir das 11 horas até o término da cota de cada restaurante, que varia entre 1.200 e 2.000 refeições.

Cada almoço custa, em média, R$ 3,50, sendo R$ 2,50 subsidiado pelo Governo de São Paulo e R$ 1,00 pago pelo beneficiário. Crianças com menos de 6 anos não pagam.

O projeto garante, à população de baixa renda, seguridade nutricional por meio de refeições saudáveis, balanceadas e ricas em nutrientes, a partir de um cardápio variado composto por arroz, feijão, carne, farinha de mandioca, salada, legumes, suco, frutas e pão, totalizando, em média, 1.600 calorias. Cada restaurante disponibiliza uma quantidade de refeições diárias, que são servidas até que se encerre a cota do dia.

O funcionamento do Bom Prato depende de convênio firmado entre a Seds e uma entidade da sociedade civil, sem fins lucrativos, além da prefeitura. Em Grajaú, o Bom Prato é gerenciado pelo Instituto Adventista de Ensino - IAE, inaugurado em 30 de agosto de 2010.

Da Secretaria de Desenvolvimento Social

Comentários: 0


Comentário fechado

Após 1 mês de publicação o comentário fica bloqueado. Envie sua mensagem para o fale conosco.

Enviar

Faça seu Cadastro

Cadastre-se para poder comentar as notícias além de receber conteúdos exclusivos.

Cadastrar

Atualize seu dados

Mantenha seus dados cadastrais atualizados para ampliar sua participação junto ao portal.

Atualizar