Ter, 09/02/10 - 13h06

Parque da Juventude revitaliza antiga área prisional do Carandiru

Oito anos após implosão, espaço ganha biblioteca e se consolida como complexo cultural e recreativo

O Parque da Juventude mudou a paisagem da zona norte da capital ao substituir a casa de detenção Carandiru por um novo complexo cultural recreativo. A área de 240 mil m² tem projeto arquitetônico englobando diversas atividades em diferentes espaços. Esportes; área verde; inclusão digital, com o Acessa SP; ensino técnico, com as Etecs, e, agora, a Biblioteca de São Paulo.

O primeiro espaço, esportivo e recreativo, possui oito quadras poliesportivas, duas quadras de tênis, pista de skate, de patins e de corrida. Há aulas gratuitas de várias modalidades o dia todo, inclusive à noite.

Ao todo, são 3,9 mil vagas distribuídas entre diversas modalidades - futsal feminino, tae kwon do, tênis, voleibol, handebol , ginástica, corrida e caminhada (condicionamento físico), alongamento, relaxamento e skate. O Parque ainda dispõe de uma lanchonete, bebedouros e banheiros adaptados para pessoas com deficiência.

A inscrição pode ser feita pessoalmente, de segunda a sexta-feira, das 9 às 18 horas, na administração do Parque da Juventude. Não é cobrada taxa de cadastro. É necessário apresentar foto 3x4, cópia do RG e atestado médico ou de saúde que comprove aptidão para a atividade esportiva. Menor de idade deve efetivar a matrícula - que garante o direito às aulas até o final do ano - acompanhado de responsável.

O segundo é o 'espaço natural' com alamedas, jardins, bosques, árvores ornamentais e frutíferas. O Parque conta ainda com uma pequena Mata Atlântica, de 16 mil m². O visitante tem a chance de entrar em contato com a natureza fazendo caminhadas ou corridas pelas trilhas ecológicas, arvorismo ou ainda levar sua bicicleta para um passeio. É permitida a entrada com animais de estimação.

Parte das ruínas da antiga Casa de Detenção do Carandiru também foram mantidas dentro do parque e estão disponíveis para visitação. Os freqüentadores podem conhecer os 600 metros do antigo presídio e suas celas.

Por fim, o terceiro espaço abriga uma unidade do Acessa São Paulo, com 110 computadores, área de shows; duas Escolas Técnicas Estaduais (Etecs) administradas pelo Centro Paula Souza - a Parque da Juventude e a de Artes; e a Biblioteca de São Paulo.

Entregue em 2007, como parte do Plano de Expansão do Governo de São Paulo, a Etec Parque da Juventude oferece Ensino Médio e os cursos técnicos de Administração, Administração Empresarial, Enfermagem, Gestão de Pequenas Empresas, Informática, Logística, Museu, Secretariado e Assessoria, e Secretariado. No segundo semestre de 2009, mais de mil alunos estudavam na unidade. No último vestibulinho, foram oferecidas 610 vagas.

Já a Etec de Artes, entregue em 2008, oferece os cursos de Administração Empresarial, Canto, Dança, Design de Interior, Eventos, Gestão de Pequenas Empresas, Regência e Secretariado e Assessoria. No segundo semestre de 2009, havia 176 alunos na unidade. Uma das novidades do vestibulinho deste ano foi a abertura de 280 vagas do curso de Eventos.

E fechando o ciclo de transformação deste espaço, a Biblioteca de São Paulo, inaugurada nesta segunda-feira, 8. Local com amplo horário de funcionamento, CDs, DVDs, jogos e 30 mil livros no acervo. Além disso, a Biblioteca será um centro de formação permanente para atualização e qualificação de profissionais da área.

Inspirada nos serviços e programas da Biblioteca Pública de Santiago, no Chile, a Biblioteca de São Paulo possui cinco áreas de atividades, divididas por faixas etárias. No local, os últimos lançamentos do mercado editorial dividem espaço com periódicos, computadores com acesso à internet e recursos multimídia.

Os usuários ainda têm à disposição um auditório, área para exposições temporárias e permanentes, atividades de incentivo à leitura e um café. E visando a acessibilidade, pessoas com deficiência têm acesso integral a todos os ambientes.

"Em matéria de acessibilidade para pessoas que tenham deficiência física, seja visual, motora ou auditiva, é uma biblioteca super avançada; talvez poucas bibliotecas no mundo tenham este nível de acessibilidade", ressaltou o governador durante inauguração do último espaço do Parque da Juventude, que garante a revitalização e um outro olhar para a zona norte da capital.

Do Portal do Governo do Estado de São Paulo

Comentários: 0


Comentário fechado

Após 1 mês de publicação o comentário fica bloqueado. Envie sua mensagem para o fale conosco.

Enviar

Faça seu Cadastro

Cadastre-se para poder comentar as notícias além de receber conteúdos exclusivos.

Cadastrar

Atualize seu dados

Mantenha seus dados cadastrais atualizados para ampliar sua participação junto ao portal.

Atualizar