Serra discursa na entrega de nova UTI e pronto-socorro do Hospital de Carapicuíba

Governador José Serra: Bem, nós viemos aqui hoje, especificamente, a motivação principal foram as reformas realizadas aqui neste hospital. Nós reformamos o ambulatório de ortopedia, o espaço do Hospital- Dia – aquele atendimento que a pessoa não dorme no hospital – o refeitório, ampliamos o pronto-socorro e ampliamos de dez para vinte leitos a UTI […]

sex, 29/01/2010 - 21h00 | Do Portal do Governo

Governador José Serra: Bem, nós viemos aqui hoje, especificamente, a motivação principal foram as reformas realizadas aqui neste hospital. Nós reformamos o ambulatório de ortopedia, o espaço do Hospital- Dia – aquele atendimento que a pessoa não dorme no hospital – o refeitório, ampliamos o pronto-socorro e ampliamos de dez para vinte leitos a UTI de adultos.

Além de melhorar a infra-estrutura dela, duplicamos o número de leitos de UTI’s. São uma questão crítica para salvar vidas, para situações de maior gravidade. Da mesma maneira, ampliamos de vinte e seis para trinta e quatro leitos os disponíveis na UTI Neonatal, para crianças recém-nascidas, além também de melhorar a infra-estrutura. De alguma maneira, também, a nossa vinda aqui é o reconhecimento porque o hospital está funcionando bem. Esse é o testemunho que temos do prefeito, que me dava o Fernando Chucre, que sempre acompanhava, é o hospital que está caminhando. Inclusive fez o vice-prefeito Salim emagrecer, porque ele esteve internado aqui. Eu não vou dar a mesma receita para o prefeito, mas ele emagreceu. Não porque tenham racionado a comida.

Nós aqui fizemos uma outra coisa muito importante em Carapicuíba, que foi o ambulatório médico de especialidades, que são milhares e milhares de consultas por mês junto com exames. Quantas consultas são aqui Barradas? 14.000. Exames são sempre mais de 30.000. Exames de imagem, exames laboratoriais, para diminuir as filas, que são uma coisa essencial, não é, do ponto de vista, o sistema de saúde em São Paulo, as coisas mais complicadas são as filas para consultas, por isso inclusive é que nós vamos fazer um AME, eu espero que possa inaugurar logo em Itapevi, que é daqui da região, deve ser aí por volta de março e temos a expectativa de fazer em Taboão, mas depende em grande medida também da prefeitura e do tipo de apoio que a gente possa ter nessa área. O Estado banca o custeio dos ambulatórios médicos que é o que custa mais caro. Custa mais caro manter um ambulatório médico de especialidades, custa mais caro manter um hospital, do que fazer por ano, vocês vejam só. Mas em geral, as prefeituras são nossas parceiras na construção. O prefeito mesmo me dizia que eles estão cooperando agora para gente duplicar a Fatec aqui. Aqui foi criada uma bela faculdade de tecnologia que vai ampliar os cursos, não é? Que curso é prefeito, vocês falaram? Isso é o que já tem… E na verdade, a nossa obra aqui na região nessa matéria de ensino técnico e tecnológico é muito importante, só na minha gestão são duas Fatecs a mais, inclui a de Osasco e sete escolas técnicas, é uma abertura de 7,7 mil vagas, é muita coisa, isso vai alavancar muito o desenvolvimento dessa região da grande São Paulo.

Eu pessoalmente tenho uma ligação próxima com Carapicuíba, desde que eu era secretário do governo Montoro em que foi a primeira vez que o Governo do Estado em muito tempo passou a olhar mais de perto a região metropolitana. Luiz Carlos Neves era o prefeito, deve lembrar das coisas. Está aqui também o ex-prefeito de Osasco, o Guaçu, nosso amigo, deve lembrar obras como a ligação com a Castello Branco, aquele Estádio Tancredo Neves, para não falar de pavimentação, de tantas coisas já vindas daquela época e cooperamos em todas as áreas, inclusive nessa que o prefeito citava do Parque da Lagoa, que é um parque gigantesco. Carapicuíba tem melhorado, essa é a verdade nos últimos anos, nas últimas décadas.

Tem um problema aqui que é um problema difícil de resolver que é o problema tributário. Há uma distribuição injusta do ICMS no Estado de São Paulo. Alguns municípios, como Carapicuíba, municípios muito populosos, que a população trabalha fora, são injustiçados quando a gente olha o per capta do que é transferido a partir da arrecadação do ICMS. Mas essa é uma mudança muito difícil de se fazer, porque a maioria da Assembléia não quer fazer e isso depende da Assembléia Legislativa, porque aí pesam interesses de representação regional que são legítimos, mas que no caso, produzem algumas distorções, como é o caso aqui.por isso, inclusive é que o Fundo de Financiamento Metropolitano, FUMEF, de alguma maneira contrabalança. Não chega a contrabalançar tudo, mas ajuda. E o Governo tem sido muito rápido nisso, o Prefeito mesmo citava um exemplo, agora, no caso do lixo, que os caminhões são comprados com esses recursos que o Estado transfere por conta desse fundo.

Aqui, nós, além do mais na área viária, estamos fazendo mudanças, melhorias, na Raposo Tavares, até Cotia, que tem implicações positivas aqui para a região e, sobretudo, investimento no transporte urbano, ferroviário, de passageiros, inclusive com muito beneficio presente e, especialmente, futuro, aqui para Carapicuíba, que é uma cidade trabalhadora e que depende muito desse meio de transporte.

Mas estamos aí abertos para o trabalho de cooperação, agora no caso das enchentes que infelizmente afetaram Carapicuíba, afetaram Itapevi, mas Itapevi não houve propriamente danos para moradores. Itapevi houve o desabamento daquele trecho da SP, que aliás nós já tínhamos anunciado o projeto para ampliar. Felizmente o DER percebeu o perigo, fez uma interdição prévia, que evitou que houvesse qualquer tragédia. E, o que está se fazendo agora é o projeto para ver bem como se faz a reconstrução, que não é difícil de se fazer, nem o tempo, mas precisa fazer certo, não pode fazer errado. E aqui, estivemos prontos, também, através da Defesa Civil do Estado e Municipal que integra, que é integrada, também, por contingentes da PM, do Corpo de Bombeiros, para o atendimento as famílias desabrigadas.

Eu quero dizer, tem passado mais ou menos batido, mas é muito importante, nós criamos o “auxílio moradia” para ajudar o deslocamento de famílias em área de risco, somando ao auxílio da Prefeitura, ou seja, aumentando muito o que seria a ajuda para o aluguel, porque nova moradia é a solução, mas nova moradia ninguém consegue fazer em menos de um ano, um ano e meio, porque tem que construir. A gente já tem feito muito. Boa parte do que a CDHU tem feito no Estado é para deslocar famílias de áreas de risco. Vocês vão pegar aí a favela de Paraisópolis, ex-favela, já está mudando, o Heliópolis, etc; nós tiramos todo mundo que estava em área de risco lá dentro. Agora, são centenas de milhares de moradias em todo o Estado de São Paulo nessa condição. Então, temos que aí multiplicar as iniciativas, inclusive olhando para o curto prazo. Quer dizer, o que faz no curto prazo. E aí temos trabalhado muito bem.

Quero dizer que no Governo do Estado nós trabalhamos sem distinguir a cor de camisa partidária. Trabalhamos em função do interesse público. Não pode ter outra opção que não essa, porque senão, a população sai prejudicada. A única cor de camisa que as vezes eu presto atenção é do futebol, por exemplo, eu queria saber se tem algum palmeirense aqui, porque aqui me disseram que é tudo corintiano, não? Não é tudo corintiano ou não? Tem pelo menos um ou outro palmeirense e o resto o que é, são-paulino? Que é isso? São-paulino aqui também? Aqui em Carapicuíba?

Bem, então quero dizer tanto ao prefeito, quanto ao vice, ao Salim, aos parlamentares, aliás, o Fernando Sucre é um homem que tem feito um trabalho importante para Carapicuíba no Congresso, não é, agregou vários parlamentares para emendas em benefício aqui da região, apesar de que o prefeito não é do mesmo partido, quer dizer, eu noto aqui um espírito em Carapicuíba na política, que é um espírito de trabalhar pelo município e isso é muito positivo, independentemente da disputa que fatalmente a cada época se instala, do ponto de vista eleitoral, mas é importante inclusive quando a gente está distante disso no nível municipal, que as forças se unam para poder desenvolver mais e mais esse município que é um município de gente trabalhadora.

Eu queria agradecer aqui a atenção, pedir desculpas pelo atraso, o mau tempo atrasou o deslocamento por helicóptero, nós tivemos lá em Itanhaém e atravessar a serra do mar, enfim, não é um bom período para gente sair voando, mas era o único jeito de poder estar aqui presente. Mas queria agradecer e dizer que continuem contando com o nosso apoio, com o nosso esforço, da mesma maneira que a gente sabe que conta com o esforço dessa gente boa de Carapicuíba.

Muito obrigado.