Serra discursa em inauguração da Ciclovia Rio Pinheiros

GOVERNADOR JOSÉ SERRA: Em primeiro lugar, um reconhecimento. As primeiras pessoas que falaram comigo sobre a possibilidade aqui da ciclovia foram a Stella Goldstein, que eu não sei se está aqui entre os ciclistas; o Eduardo Jorge, nosso secretário do Verde; e a Sônia Francine, sobre a possibilidade de aqui se fazer uma ciclovia. E […]

sáb, 27/02/2010 - 16h52 | Do Portal do Governo

GOVERNADOR JOSÉ SERRA: Em primeiro lugar, um reconhecimento. As primeiras pessoas que falaram comigo sobre a possibilidade aqui da ciclovia foram a Stella Goldstein, que eu não sei se está aqui entre os ciclistas; o Eduardo Jorge, nosso secretário do Verde; e a Sônia Francine, sobre a possibilidade de aqui se fazer uma ciclovia. E a Secretaria de Transportes Metropolitanos e a Secretaria de Energia e Saneamento trabalharam bastante nessa direção, nesta obra executava pela CPTM.

São 14 quilômetros de ciclovia. Eu não sou especialista, mas me pareceu de primeira qualidade, de primeira qualidade. Tive a oportunidade de estrear e se não fosse de primeira qualidade eu não sei se teria conseguido fazer o percurso.

Eu era viciado em bicicleta quando garoto, andava até sem pôr a mão na direção, mas hoje eu tentei experimentar e vi que seria uma calamidade e uma delícia para fotógrafos se eu levantasse os braços.

Mas o fato, eu pedi ao Walter, que fizesse um levantamento do que nós já fizemos de ciclovia. Nós quem? O Estado e a Prefeitura, que trabalham de mãos dadas neste como em muitos outros aspectos da vida da cidade.

Foram 1,8 quilômetros em Parelheiros, três em Inajar de Souza, dez na Radial Leste, dois na Represa de Guarapiranga, catorze agora na Marginal Pinheiros e 10 na ciclofaixa do Ibirapuera até o Parque do Povo, uma coisa recente que a Prefeitura fez. Temos a perspectiva de completar deste lado mais seis quilômetros até o fim deste ano e, a longo prazo, nós teremos 25 deste lado e 25 do outro lado porque estamos já ultimando o projeto para isso. Ou seja, aqui na Marginal Pinheiros nós teremos 50 quilômetros no futuro. O importante é o começo e já começamos bem. Como disse aqui o Portella, creio – lá está, inclusive o mapa, como disse o Portella – já têm engatilhado duas outras entradas aqui… estão engatilhadas, que vão ser feitas por empresas privadas e outras farão, de maneira que a gente chegue até o Villa-Lobos. De maneira a facilitar o acesso e a saída e aí vamos pegar patrocínios diferentes para esse trabalho.

Como está lá no mapa, nós estamos prevendo a construção do Parque Linear do Pinheiros, que vai ter uma função de lazer, estética e de, digamos assim, e de ajuda ao enfrentamento da questão das enchentes porque vai abrir áreas permeáveis novas ao lado do rio. Esse é um projeto que está em elaboração e, eu diria, é de médio prazo, mas nós vamos, neste ano, deixá-lo bem encaminhado.

Portanto, temos coisas boas e, melhor ainda, muitas coisas boas pela frente. O Portella fez aqui um resumo do que se preparou em matéria de Metrô, de bicicletários, de experiências, inclusive, de aluguel. Isto, na verdade, tem uma importância imensa que não se resume ao lazer, mas ao contrário. O bicicletário do Metrô está ligado ao acesso ao trabalho, ao acesso a escola e ao deslocamento normal da população no nosso dia-a-dia. Ainda falta muito por fazer, mas eu diria que aquilo que nós fizemos já fixou um caminho irreversível na cidade de São Paulo: o da bicicleta e o da ciclovia.

Quero dar aqui os parabéns à CPTM, à Secretaria de Energia e os parabéns, acima de tudo, à população de São Paulo e aos ciclistas que aqui estão, que são a ponta-de-lança dessa nova modalidade de transporte em São Paulo. Muito obrigado. Estou muito feliz de estar aqui no dia de hoje nessa inauguração.