Alckmin discursa em anúncio do novo prédio do Butantan

Geraldo Alckmin: Bom dia a todos e a todos. Estimado secretário do Estado da saúde, o professor Giovanni Guido Cerri; presidente da Fundação Butantan, nosso sempre secretário, professor José da Silva Guedes; diretor do Instituto Butantan, professor Jorge Kalil; professor Isaías Raw, presidente do Conselho Técnico-Científico; doutor Rubens Scaff, superintendente da Furp; Eglon Vital Brazil, […]

qua, 23/02/2011 - 19h30 | Do Portal do Governo

Geraldo Alckmin: Bom dia a todos e a todos. Estimado secretário do Estado da saúde, o professor Giovanni Guido Cerri; presidente da Fundação Butantan, nosso sempre secretário, professor José da Silva Guedes; diretor do Instituto Butantan, professor Jorge Kalil; professor Isaías Raw, presidente do Conselho Técnico-Científico; doutor Rubens Scaff, superintendente da Furp; Eglon Vital Brazil, filho do doutor Vital Brazil; Lael Vital Brazil; o Érico Vital Brazil; Osvaldo Augusto Santana; o doutor Antônio Werneck, diretor presidente do Instituto Vital Brazil; integrantes do conselho aqui do Instituto, pesquisadores, dirigentes colaboradores, amigas e amigos.

Uma palavra breve, mas é da alegria, doutor Jorge Kalil. Queria saudar também aqui o doutor Mercadante, que esteja aqui conosco, e dizer da alegria de estarmos juntos. Uma bela história, 110 anos quando foi adquirida aqui a Fazenda Butantan e aqui instalado este que é hoje o maior instituto soroterápico da América Latina e um dos mais importantes do mundo. E não há nada melhor para gente comemorar o aniversário, do que pondo mais um tijolo nessa bela construção, para que ela possa se avançar ainda mais.

Então hoje se inicia a obra do novo prédio das coleções, esse novo prédio ele fica pronto até o final deste ano, são R$ 3 milhões, 1.600 metros quadrados de área construída, (um prédio) extremamente moderno para a herpetologia, é isso não é? Que é das cobras. E para os artrópodes, das aranhas, num é isso? E também não esquecendo dos insetos. Então esse novo prédio das coleções, extremamente moderno, inclusive para prevenção em combate a incêndio, todos os avanços aí da tecnologia. Então, se Deus quiser, o doutor Kalil pode por o café no bule que no fim do ano nós estamos de volta aqui, para gente entregar o novo prédio aí das coleções.

E a boa notícia, também, da fábrica de vacina contra gripe, que já produzimos este ano três milhões (de doses), e o ano que vem 22 milhões (de doses), e o Brasil será autossuficiente na vacina contra a gripe: toda ela produzida aqui. E deixo aqui um desafio para o professor Giovani Cerri, o doutor Guedes, o doutor Kalil e as suas equipes para gente, em 30 dias, ter fechado a questão do ‘funding’ da fábrica de hemoderivados.

Hoje… Nós já investimos bastante, a fábrica está pronta, os equipamentos estão aí, mas falta ainda, acho que R$ 60 milhões para a infraestrutura, para entrar em funcionamento. O Brasil manda todo o sangue para fora, eles são preparados, os hemoderivados, fator 8, fator 9, enfim, imunoglobulinas, paga uma fortuna verdadeira e aí volta tudo para cá. E com a fábrica aqui de hemoderivados no Butantan, nós daremos aí o primeiro passo para completarmos todo o ciclo, produzindo no Brasil, pela primeira vez, os fatores do sangue, que são os hemoderivados. Então, fica aqui… Vocês podiam… São R$ 60 milhões, de repente a gente põe uma parte do orçamento do Estado e a outra parte nós poderíamos, através da agência de fomento, financiar a fundação, enfim. Vocês sentam aí, buscam a melhor solução, mas para gente não parar; o mais rapidamente terminar e por em funcionamento a fábrica de hemoderivados.

Mas quero deixar um grande abraço, se a minha memória está boa, o professor Willian, estudei muito os livros do professor, e uma grande alegria. Meu pai era… Eu tenho algumas ligações históricas aqui: uma, porque quem adquiriu a área, lá atrás, para que o Vital Brasil instalasse aqui esse grande instituto foi um conterrâneo meu, Emílio Ribas, que deu a ordem para comprar aqui a Fazenda Butantan. E, depois, o meu pai era veterinário, portanto sempre morei em fazenda até os 16 anos de idade. E meu pai nos ensinava a conhecer as cobras por causa do risco de picada. Ele falava, “olha, se você conseguir identificar a cobra que te picou, a tua chance de escapar era maior”. Então sempre é uma alegria rever o professor Willian.

Mas quero deixar um grande abraço ao doutor Kalil, cumprimentar toda a família do Instituto Butantan, e se existe orgulho justo esse é um justo orgulho de São Paulo e do Brasil.

Parabéns.