Turismo Ecológico

Parque Estadual da Serra do Mar, Núcleo Caraguatatuba

Pela Via Dutra (BR 116) chega-se até São José dos Campos, seguindo depois pela rodovia dos Tamoios (SP 99) na direção de Caraguatatuba. No km 80, as placas de sinalização indicam, à esquerda, a entrada para o Núcleo. Mais 700 metros em estrada de terra e chega-se na sede do Núcleo, que conta também com uma base, em construção, em São Sebastião, junto à Polícia Florestal de Juqueí.

A região do litoral norte do Estado de São Paulo é privilegiada com belas paisagens. As encostas da Serra do Mar cobertas pela mata atlântica, a grande planície litorânea e o mar azul compõem um desses encantos: a vista panorâmica que se contempla do alto da serra, no caminho para Caraguatatuba. Grande parte da vegetação que forma esse cenário pertence ao Núcleo Caraguatatuba do Parque Estadual da Serra do Mar. Com quase 315 mil hectares, desde a divisa de São Paulo com o Rio de Janeiro, até o município de Itariri no sul do Estado, passando por toda a faixa litorânea, o parque representa a maior porção contínua preservada de mata atlântica do Brasil. O Núcleo Caraguatatuba integra a rede de Unidades de Conservação, administrada pela Secretaria do Meio Ambiente, por meio do Instituto Florestal. Com o nome inicial de Reserva Florestal de Caraguatatuba, a área passou a ser um Núcleo do Parque Estadual da Serra do Mar em agosto de 1977, o primeiro do litoral norte e um marco na história da preservação da mata atlântica na região. Sua área de abrangência é de cerca de 88.000 hectares, incluindo os limites dos municípos de São Sebastião, Paraibuna, Salesópolis e Natividade da Serra. Jequitibás, canelas, cedros, jatobás, ipês, guapuruvus e multicoloridos manacás-da-serra são algumas das árvores que caracterizam a riqueza da floresta perene úmida de encosta, um sinônimo de mata atlântica. Espalhada pela Serra do Mar e chegando até os picos mais altos, a floresta abriga e mantém inúmeras nascentes que formam os riachos e córregos de água pura que fazem parte de importantes bacias hidrográficas, como as dos rios Pardo, Guaxinduba e Claro.

Mais informações

Secretaria do Meio Ambiente