Artesanato

Ciete Silvério Artesanato em Miracatu

Artesanato em Miracatu

O Estado de São Paulo desenvolveu um artesanato típico e peculiar, produzido basicamente com matéria-prima fornecida pela floresta tropical. Misturando técnicas trazidas pelo colonizador europeu com as desenvolvidas pelos indígenas e negros e enriquecendo-se com a curiosa contribuição cultural das diferentes populações de migrantes e imigrantes. A intensa industrialização tem dado lugar a um novo tipo de artesanato, o artesanato urbano, em que resíduos industriais são reciclados pelas mãos dos artesãos, transformando-se em objetos singulares. Ainda assim, algumas regiões mantêm seu artesanato tradicional, como Apiaí, no Vale do Ribeira, com sua cerâmica rústica, figurativa, utilitária e decorativa de grande valor histórico, cultural e econômico; o Vale do Paraíba, com os trançados de fibras vegetais, os entalhes de madeira, a cerâmica de origem silvícola e a de alta temperatura, de influência oriental. No litoral é marcante o artesanato indígena, produzido por remanescentes dos guaranis, especialmente a cestaria de cipó, bambu e taboa e os artefatos de caça, pesca, adorno e instrumentos musicais, que combinam a utilização de madeiras, fibras, cabaças e outros materiais. Outras manifestações do artesanato paulista podem ser encontradas em feiras semanais na Capital, no Interior, no Litoral, com destaque para a da Praça da República, da Liberdade e a do Embu.

Mais informações

Sutaco
Rua Boa Vista, 170 3º andar - blocos II e III - Sé
CEP 01014-000
São Paulo - SP
Fone: (0xx11) 3241-7327
Fax: (0xx11) 3241-7337
Cadastramento: (0xx11) 3241-7334
Ouvidoria: (0xx11) 3241-7338

Sutaco

O Governo do Estado de São Paulo, preocupado em desenvolver e preservar essa arte, criou a Sutaco - Superintendência do Trabalho Artesanal das Comunidades. Sua principal competência é estudar os problemas ligados à absorção da mão-de-obra, como também orientar, executar e supervisionar a política de absorção de mão-de-obra marginalizada. A SUTACO é também coordenadora no Estado de São Paulo do Programa de Artesanato Brasileiro - PAB, criado pelo Ministério do Desenvolvimento da Indústria e Comércio, direcionado para apoiar os núcleos de produção e comercialização artesanal.

Em fevereiro de 2005, a SUTACO registrou a marca de mais de 36.400 artesãos cadastrados em todo o Estado de São Paulo, incluindo a Capital e os 350 municípios que mantêm termo de cooperação com o programa.

Lei 7.126, de 30/04/91, instituiu o dia 19 de março como Dia do Artesão.