Ações de Governo

Desenvolvimento Social

Apresentação

Foco na inclusão social com geração de renda

A Secretaria de Desenvolvimento Social trabalha para garantir os direitos e o acesso a bens e serviços a cidadãos e grupos em situação de vulnerabilidade e risco social no Estado. Formula, coordena e avalia toda a política de Assistência e Desenvolvimento Social, além de promover parcerias e a transferência e geração de renda aos 645 municípios paulistas.

O Governo paulista deu um importante passo nesse sentido ao unificar o programa estadual Renda Cidadã ao Bolsa Família, do Governo Federal. O programa fará o mapeamento e a localização das famílias em situação de vulnerabilidade social, para que recebam assistência e acelerem seu processo de inclusão.

Além desta ação, o Governo do Estado oferece, por meio de vários programas, acesso à qualificação, emprego e renda a milhares de paulistas, além de investir em cursos de qualificação e requalificação profissional e novas tecnologias, abrindo caminhos para a geração de renda e a manutenção do emprego no Estado.

Combate à Pobreza

Ninguém será deixado para trás

O Governo do Estado assinou um termo de adesão com 100 cidades paulistas de menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) para localizar famílias que vivam em condições de extrema pobreza, isto é, com renda per capita mensal abaixo de R$ 70. O objetivo é inseri-las em um projeto de erradicação da pobreza transferindo renda com a integração dos programas Renda Cidadã, do governo estadual, e o Bolsa Família, do governo federal.

O Renda Cidadã é um programa de transferência de renda associado a ações complementares que promove o desenvolvimento e a autonomia de famílias com renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo nacional.

Localização das famílias 

A primeira etapa do projeto foi o Retrato Social, levantamento que localizou as famílias em condições de extrema pobreza. Com esses dados, foi elaborado o Mapa da Privação Social, que serviu para a cidade redigir a Agenda da Família nas áreas de educação, saúde e padrão de vida da população.

Essas ações foram iniciadas com as cem cidades de menor IDH do Estado e, na segunda fase, foram incluídos mais 480 municípios. Os 65 municípios da região metropolitana de São Paulo também vão ser inseridos.

Programas

“Bom Prato” agora com café da manhã e capacitação profissional

Trata-se da rede de restaurantes populares do Governo do Estado com oferta de alimentação balanceada e de qualidade ao preço de R$ 1. Beneficia a população de baixa renda, idosos e pessoas em situação de vulnerabilidade social.

As unidades servem refeições compostas de arroz, feijão, carne, legumes, salada, farinha de mandioca, pão, fruta da época e suco, ao custo de apenas R$ 1,00. O Governo subsidia R$ 3,00 do custo total da refeição (R$ 4,00) e o usuário complementa com o valor de R$ 1,00. Crianças com menos de seis anos não pagam. Em média, são servidas de 1.200 a 2.000 refeições por dia. Cada restaurante gera de 15 a 20 empregos.

Atualmente, são quase quarenta unidades em funcionamento, que servem mais de 47 mil refeições por dia. 

Novas Ações

Café da manhã

Agora é possível tomar o café da manhã na rede. Café com leite ou achocolatado, pão com frios e uma fruta da época ao custo de R$ 0,50. O custo total é de R$ 1,30, sendo R$ 0,80 subsidiado pelo Governo do Estado e o restante pago pelo beneficiário.

Capacitação profissional

Outra novidade dos restaurantes Bom Prato é a oferta de cursos de qualificação profissional na área de alimentos do Via Rápida Emprego, programa desenvolvido pela Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, por meio do Centro Paula Souza. Eles são realizados após o horário de atendimento do restaurante, utilizando a infra-estrutura disponível.

Internet gratuita complementa inclusão

O Programa Acessa São Paulo vai ofertar, gradativamente, o serviço de internet em unidades que apresentarem infraestrutura. No Bom Prato Grajaú, já estão em funcionamento três equipamentos ligados à internet para uso do cidadão e um para o monitor, permitindo assim a inclusão digital da população em situação de vulnerabilidade social que frequenta a unidade.

Imagem destaque

"Ação Jovem" abre caminho para o mercado de trabalho

Trata-se de um programa de transferência de renda que estimula a conclusão da educação básica e preparar o jovem para o mundo do trabalho. Beneficia estudantes de 15 a 24 anos, de ambos os sexos, com renda familiar até meio salário mínimo por pessoa, e que ainda não concluíram o ensino básico. A ideia é que voltem a estudar para terem melhores chances de reinserção no mercado de trabalho, além de exercerem plenamente sua cidadania. O valor do benefício é R$ 80,00 por mês, pelo período de um ano. O prazo é prorrogável até três anos.

Para desenvolver o Programa Ação Jovem, a pasta conta com a parceria das Secretarias de Estado de Educação, da Saúde, do Desenvolvimento Econômico, Ciência e Tecnologia, do Emprego e Relações do Trabalho, dentre outros órgãos estaduais, Prefeituras Municipais e organizações do 2º e 3º setor.

Mais informações

Secretaria Estadual de

Desenvolvimento Social

www.desenvolvimentosocial.sp.gov.br

R. Bela Cintra, 1.032 - 11º andar - CEP 01415-000 São Paulo - SP

(0xx11) 2763-8000 (PABX)