Ações de Governo

Cultura

Apresentação

Cultura para todos

Levar a cultura ao interior do Estado e dar acesso a quem não tem são prioridades da Secretaria da Cultura de São Paulo. Para isso, há uma série de projetos inovadores e conectados às necessidades e interesses da população.

Foi lançado, em 2011, o Sistema Paulista de Música, que integra programas como o Projeto Guri, de iniciação musical. O objetivo é que os jovens tenham a possibilidade de dar continuidade aos seus estudos até chegar a uma orquestra profissional.

Eventos como a Virada Cultural Paulista, o Circuito Cultural e a Viagem Literária crescem a cada ano, expandindo-se em municípios do interior e litoral paulista e conquistando um público cada vez maior. A programação é diversificada, reunindo artistas renomados e manifestações artísticas regionais que valorizam as peculiaridades de cada localidade.

Outro programa de destaque é o das Fábricas de Cultura, instaladas nas regiões da capital em que os jovens estão mais vulneráveis a situações de violência e abandono. Serão nove unidades com programação de oficinas de arte voltadas aos jovens de sete a 19 anos.

Os museus do Estado também recebem atenção especial, já que são importantes agentes de difusão e preservação do patrimônio cultural. Iniciativas inovadoras, como o Museu da Língua Portuguesa, o Museu do Futebol e o Museu Catavento – que, juntos já receberam um público de mais de três milhões de pessoas -, além da inauguração, em 2012, do MAC-USP na antiga sede do Detran, dão o tom às ações da Secretaria.

O incentivo à produção cultural também ganha destaque com o ProAC ICMS, que confere benefício fiscal a quem patrocina ações na área da Cultura, e o ProAC Editais, que realiza editais para as mais diferentes áreas, como dança, teatro, cinema e circo.

Espaços Culturais

Diversidade, prestígio e alcance público

Dentre as instituições culturais administradas pela Secretaria de Cultura há espaços dedicados à arte, à historia e ao patrimônio imaterial brasileiro, a exemplo da Pinacoteca do Estado, do Museu de Arte Sacra e do Museu da Imagem e do Som, assim como museus históricos, como o da Imigração e do Café.

Instituições modernas e interativas, que usam tecnologia de ponta e recursos interativos para apresentar seus conteúdos, como o Museu da Língua Portuguesa, o do Futebol e o Catavento, estão atualmente entre as recordistas de público no país.

Em 2012, foi inaugurado o novo prédio do Museu de Arte Contemporânea (MAC-USP), na antiga sede do DETRAN, vizinho ao Parque do Ibirapuera. Totalmente ocupado pelo acervo do Museu, o edifício virou um novo ponto de visitação e cultura na região.

Museu de Arte Contemporânea

Um dos maiores acervos de arte da América Latina ganhou nova sede em janeiro de 2012, quando o Museu de Arte Contemporânea (MAC USP) passou a ocupar o Palácio da Agricultura (antiga sede do Detran), que foi restaurado e adequado pelo Governo do Estado de São. Projetado originalmente por Oscar Niemeyer, o prédio está totalmente adaptado para receber as obras de arte, com 23 mil m² de área expositiva. O espaço atende a necessidade do MAC de ter uma sede maior, já que até então menos de 5% do acervo do museu podiam ser expostos.

Biblioteca de São Paulo

A Biblioteca de São Paulo (BSP) faz parte de um conjunto de iniciativas da Secretaria da Cultura que visa incentivar e promover o gosto pela leitura. Ao integrar diversas mídias, a Biblioteca de São Paulo inova ao aproximar as expressões artísticas e colocar a literatura ao lado de seus mais fortes concorrentes, como os jogos eletrônicos, a televisão e a internet. Exemplar do conceito de Biblioteca Viva, a BSP investe, ainda, em uma diversificada programação cultural, com contadores de história, palestras e atividades para pessoas de todas as idades. Localizada no Parque da Juventude, na capital, recebe em média 50 mil pessoas por mês.

Teatros

O Estado de São Paulo abriga alguns dos mais renomados teatros do País, vários deles administrados pela Secretaria de Estado da Cultura, como a Sala São Paulo, sede da internacionalmente reconhecida Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (Osesp).

O complexo cultural, que segue rigorosos parâmetros técnico-acústicos, ocupa o belo prédio da Estação Júlio Prestes. Sua grande inovação tecnológica foi a construção de um teto móvel, formado por placas que podem ser abaixadas ou levantadas para ajustar a qualidade de som, de acordo com o tipo de música a ser tocada. Com capacidade para 1.484 lugares, a sala conta ainda com 22 camarotes.

Em setembro de 2011, foi entregue a reforma no Teatro Sérgio Cardoso. O espetáculo "Ensina-me a Viver", estrelado pela atriz Gloria Menezes, marcou a reinauguração do espaço. Com a troca de todas as instalações elétricas, hidráulicas e de esgoto, além da renovação das duas salas de espetáculo, o teatro agora oferece mais conforto, segurança e acessibilidade aos frequentadores.

No interior, destaca-se, no município de Araras, o Teatro Estadual Maestro Francisco Paulo Russo. Também administrado pela Secretaria Estadual da Cultura, o teatro, inaugurado em 1991 com projeto do arquiteto Oscar Niemeyer, é um dos melhores do Estado, com capacidade para 466 pessoas.

Ligado ao Conservatório de Tatuí, o interior paulista conta também com o Teatro Procópio Ferreira. De design arrojado, sua acústica foi projetada especialmente para concertos e é elogiada por instrumentistas e críticos musicais como uma das melhores do País.

E, em Campos do Jordão, o Auditório Cláudio Santoro, de padrão internacional, abriga os mais variados espetáculos de dança, teatro, shows variados e seminários, especialmente no tradicional Festival de Inverno, em julho. Em seus jardins foi instalado ainda um museu ao ar livre: o Museu Felicia Leirner, com esculturas da artista.

Fábricas de Cultura

Cidadania através do acesso à cultura

O Programa Fábrica de Cultura, implantado pela Secretaria da Cultura por meio de contrato firmado entre o Governo do Estado de São Paulo e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), tem como objetivo promover a cidadania plena através do acesso à cultura. Atividades artísticas e culturais são oferecidas a crianças, jovens e adultos de nove distritos da cidade de São Paulo com baixos índices sociais.

A escolha dos distritos se deu a partir de uma pesquisa realizada pela Fundação Seade, que mediu o Índice de Vulnerabilidade Juvenil (IVJ) em diferentes regiões. Esse índice leva em conta informações sobre crescimento populacional, frequência escolar, gravidez na adolescência e violência entre adolescentes. As localidades já contempladas com Fábricas de Cultura em funcionamento são: Cidade Tiradentes, Itaim Paulista, Sapopemba, Parque Belém e Vila Curuçá (zona leste); Cachoeirinha e Jaçanã (zona norte); Capão Redondo e Jardim São Luiz (zona sul).

As Fábricas de Cultura são complexos culturais de cerca de sete mil metros quadrados, que constituem espaços de intensas atividades artísticas e culturais para a população local, abertas de terça a domingo. A unidade de Vila Curuçá, por exemplo, é freqüentada, a cada mês, por mais de oito mil pessoas. Lá, assim como nas outras Fábricas, são desenvolvidos ateliês de iniciação artística nas linguagens música, artes visuais, artes cênicas, multimídia, literatura, teatro, dança e circo. Cada Fábrica tem salas de aula, biblioteca e uma oferta de mais de mil vagas nos ateliês culturais. Algumas das unidade contam também com teatros para apresentações e sessões de cinema.

Os resultados das atividades culturais e das ações de implantação do Programa serão monitorados e avaliados constantemente, sempre com a intenção de manter um caminho que gere benefícios aos participantes e à população geral dos distritos. Quando se proporciona atividades como as das Fábricas para uma criança ou adolescente, toda a família é beneficiada e acaba sendo atraída para o universo da cultura.

 

Cultura no Interior

Para todos

Atrações culturais variadas e de muita qualidade não devem ficar restritas aos grandes centros urbanos. Por isso mesmo a Secretaria da Cultura realiza uma série de ações para democratizar o acesso da população a bens culturais de qualidade, reunindo desde artistas consagrados nacional e internacionalmente até manifestações artísticas regionais em festivais, eventos e apresentações nos teatros municipais.

Virada Cultural Paulista

A cada ano, a Virada Cultural Paulista promovendo cerca de mil atividades gratuitas em dezenas de municípios do interior do Estado, em todas as regiões. A programação inclui espetáculos de dança, música, teatro, comédia stand-up, culturas populares, cinema, literatura, circo, ópera, intervenções urbanas e artes visuais. A Virada leva cultura de qualidade para fora dos grandes centros, permitindo que a população do interior e do litoral tenha acesso ao trabalho de artistas renomados e que talentos regionais também possam destacar seu trabalho.

Circuito Cultural Paulista

Trata-se de levar, com regularidade, uma programação de excelência para cidades do interior e do litoral do Estado de São Paulo. O Circuito cresce a cada ano e sua programação inclui espetáculos de teatro, música, dança e circo.

Viagem literária

O programa Viagem Literária é uma parceria entre o Governo do Estado de São Paulo, a Secretaria da Cultura e bibliotecas públicas de diversas cidades paulistas.

Por meio de atividades realizadas em bibliotecas, como oficinas de criação literária e contação de histórias, bem como bate-papos com escritores consagrados, a Viagem Literária incentiva a leitura e aproxima ainda mais o público desses espaços.

Foram convidados do programa autores como Ignácio de Loyola Brandão, Marcelino Freire, Suzana Montoro, Noemi Jaffe e Márcia Tiburi, entre outros.

ProAc

Incentivo à produção cultural

O Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura apóia e patrocina a renovação, o intercâmbio, a divulgação e a produção artística e cultural no Estado.

O ProAC ICMS, criado em 2006, pode ser pleiteado para uma grande variedade de projetos culturais, incluindo artes plásticas, visuais, design, música, circo, audiovisual, teatro, cultura popular, dança, museus, hip-hop, literatura, preservação do patrimônio histórico, vídeo, programas de rádio e TV, bibliotecas, dentre outros.

Depois de tê-los aprovados por uma comissão da Secretaria da Cultura, os realizadores podem captar recursos na iniciativa privada ou em empresas estatais. Estas, por sua vez, recebem autorização do Estado para deixar de recolher o ICMS no valor do patrocínio. No final do processo, o realizador obrigatoriamente presta contas do investimento à Secretaria.

Mais informações

Secretaria Estadual da

Cultura

www.cultura.sp.gov.br

Rua Mauá, 51 - 1º andar - Luz - CEP 01028-900 São Paulo - SP

(0xx11) 2627-8000

Fax (0xx11) 3221-4744