Segurança Pública

Segurança Pública

São Paulo fortalece a sua estrutura de Segurança Pública com a ampliação do policiamento e de viaturas nas ruas e do Sistema Detecta de monitoramento de ocorrências policiais integrado à câmeras de vigilância em vários municípios do Estado.

A redução sistemática no número de vítimas de homicídios está entre os resultados mais significativos dos investimentos do Governo do Estado no setor. O índice para esse tipo de crime, que em 2014 foi de 9,7 pessoas para cada grupo de 100 mil habitantes, foi reduzido para 8,9 vítimas por 100 mil habitantes em 2015, uma queda de 13,2%.

Em 2016, o índice paulista melhorou ainda mais, com o Estado de São Paulo atingindo a menor taxa da série histórica, iniciada em 2001. Foram 8,23 casos e 8,54 vítimas de homicídios por grupo de 100 mil habitantes.

Os números são muito próximos aos verificados nos países considerados desenvolvidos e menos da metade do registrado pela média nacional, de 25,7 vítimas por 100 mil habitantes.

Programas e Ações

Sistema Detecta

O Detecta ampliou a sua capacidade de monitoramento de ocorrências policiais. O sistema inteligente que integra o banco de dados das polícias paulistas e câmeras de vídeo em vários municípios expande o seu alcance na área metropolitana da capital.

Com a interligação de mais equipamentos da Prefeitura de São Paulo ao sistema, já são 178 pontos integrados. A conexão aos equipamentos está sendo feita de forma gradativa e vai chegar aos 900 pontos integrados, além de 12 pontos do DER (Departamento de Estradas de Rodagem) na área urbana.

Em todo o Estado, o sistema conta com 559 câmeras de monitoramento interligadas. Mas o Detecta vai além, ao integrar um conjunto de informações policiais e incorporar importantes bancos de dados, como registro de ocorrências (RDO), Fotocrim, cadastro de pessoas procuradas e desaparecidas, dados do Detran.SP, registro de veículos furtados, roubados e clonados.

A integração de todas essas informações faz do sistema o maior banco de dados criminais da América Latina e contribui para proporcionar mais eficiência à ação policial.

Defesa da Mulher

De longe, o Estado de São Paulo é o que possui a maior estrutura do país para atender os casos de violência contra a mulher, a começar pelo número de delegacias especiais em operação e que representam mais de um terço do total das existentes no país (35,8%).

A rede é composta por 133 delegacias, sendo 108 no interior, 16 na região metropolitana de São Paulo e nove delas na capital, incluindo a primeira Delegacia da Mulher criada no Brasil e que atende 24 horas por dia, todos os dias da semana, sem prejuízo do atendimento das mulheres nas delegacias não especializadas, que estão em condições de analisar os casos de violência contra a mulher e também funcionam em regime de plantão.

Essa estrutura contribui para reduzir o número de homicídios de mulheres no Estado, que é próximo da metade do verificado em nível nacional: 2,9 homicídios de mulheres por 100 mil habitantes, enquanto a média nacional é de 4,3 homicídios por grupo de 100 mil habitantes.

A estatística é ainda menor na capital: 2,8 homicídios por 100 mil habitantes. Segundo o Ipea (Instituto de Pesquisas Aplicadas), São Paulo é o Estado que apresentou a queda mais acentuada no número de homicídios praticados contra a mulher no período de 2004 a 2014.

Os dados sobre homicídios e outras ocorrências correlatas podem ser acompanhados mensalmente pela Secretaria de Segurança Pública (SSP). Veja aqui as estatísticas.

Campanhas contribuíram para que as mulheres fossem incentivadas a denunciar os casos de agressão, fazendo com que os números de ocorrências aumentassem também em função do horário de atendimento estendido da 1ª Delegacia da Mulher. A 1ª DDM está localizada na Rua Bittencourt Rodrigues, 200, Sé, São Paulo.

E as mudanças continuam: os policiais militares que fazem o patrulhamento vão poder utilizar em seus tablets um cadastro com registro de ocorrências, que incluem medidas protetivas que impedem, por medida judicial, a aproximação da vítima por parte do agressor. Assim, os policiais poderão se antecipar nas ocorrências de modo a intervir de modo mais efetivo.

Além disso, um termo de cooperação assinado pela Secretaria da Segurança Pública com o Ministério Público e a Secretaria da Justiça e da Defesa da Cidadania prevê cursos de reeducação familiar, que incluem no programa os autores das infrações previstas na Lei Maria da Penha.

Infocrim

São Paulo possui um mapa que indica a incidência de crimes por região, nos 645 municípios do Estado. O Infocrim é um sistema que funciona em conjunto com o Registro Digital de Ocorrência (RDO).

O RDO traz os dados dos boletins de ocorrências das unidades policiais, que são registrados em meio digital e armazenados em banco de dados. O Infocrim analisa esses dados e cria um mapa da criminalidade, que identifica os pontos de maior índice criminal, separado por cidades, bairros e ruas, e também por dias e horários. Com os dados, é possível fazer o Planejamento de Policiamento Inteligente (PPI) e definir o roteiro de cada viatura, de acordo com as necessidades do local.

O Infocrin foi atualizado em 2014 com a incorporação de medidas que permitem avaliar a produtividade dos policiais para fins de remuneração, de acordo com índices que medem o desempenho profissional. Dessa forma, ganha mais o policial de maior empenho no combate ao crime.

São Paulo aumenta número de viaturas e de policiais

A aquisição de viaturas policiais e a contratação de mais policiais contribui para um patrulhamento mais eficiente nas ruas. No período entre 2011 e 2014, o Governo do Estado adquiriu 14.380 viaturas para as polícias militar, civil e técnico-científica. Só em 2016, 2.225 novas viaturas foram integradas à frota. Também entre 2011 e 2014 foram contratados 23.788 policiais militares, 3.650 policiais civis e 692 policiais técnico-científicos.

Serviços e informações

SECRETARIA DA SEGURANÇA PÚBLICA

Rua Líbero Badaró, 39 – CEP 01009-000 – São Paulo (SP)

E-mail: seguranca@sp.gov.br

Visitar site

Mais ações de governo